Viação Ponte Coberta - No contorno da Serra de Madureira

| Sem comentário
Fundada em 4 de dezembro de 1970, a Viação Ponte Coberta teve a sua primeira sede localizada no município de Itaguaí. Sua garagem era localizada na Praça Castilho, atualmente município de Seropédica.



A Ponte Coberta opera atualmente nas linhas intermunicipais da Baixada Fluminense atendendo aos municípios de Nilópolis, Mesquita, Nova Iguaçu, Itaguaí, Mangaratiba, Seropédica e Rio de Janeiro.




A Viação Ponte Coberta operava linhas municipais em Itaguaí com o prefixo 03XXX e intermunicipais com o registro DETRO-RJ 190XXX.


Viação Ponte Coberta - Foto: Reprodução da Internet
A Viação Ponte Coberta tinha um enorme número de linhas que atendiam à BR-465 Antiga Estrada Rio-São Paulo, em sua maioria, ligando Campo Grande à Itaguaí, Paracambi e Seropédica.




Até então, a Viação Ponte Coberta e a EVAL tinham exclusividade no ligação com a Capital.



Já em 1985 começam a surgir mudanças na região. Com a saída da Empresa de Viação Angrense, começa a operar a Expreso Real Rio, originada de uma cisão da Turismo Transmil para operar na ligação de Itaguaí com o Centro do Rio.



Em 1991, a Expresso Real Rio e a Viação Ponte Coberta pertenciam ao Grupo JAL, e algumas mudanças ocorreram para as duas empresas.



Em 1994, a Viação Ponte Coberta perde mais de 50% de suas linhas, se mantendo apenas no eixo da RJ-105 Avenida Abílio Augusto Távora. Já a Expresso Real Rio, que até então só operava linhas executivas recebeu o eixo da BR-465 Antiga Estrada Rio-São Paulo.


Aérea de atuação dividida entre Viação Ponte Coberta e Expresso Real Rio

Até então, ambas as empresas tinham sede no distrito de Seropédica, a Ponte Coberta na Praça Castilho, ponto de intersecção da BR-465 Antiga Estrada Rio-São Paulo com a RJ-099 Estrada de Piranema, a Expresso Real Rio com a garagem oriunda da EVAL em Fazenda Caxias, localizado no km49 da BR-465, atual sede do município de Seropédica, emancipado de Itaguaí pela Lei Estadual n.º 2.446, de 12-10-1995.





Linhas transferidas da Viação Ponte Coberta:

737P Campo Grande x Campo Lindo via KM 32
739P Campo Grande x Seropédica via KM 32
740P Campo Grande x KM 34 via Rio-SP
741P Campo Grande x Praça Castilho via KM 32
744P Campo Grande x Ponte Coberta via KM 32
545P Campo Grande x Paracambi via KM 32
547P Campo Grande x Japeri via KM 32
436S Paracambi x Sepetiba
749P Belvedere x Santa Cruz via Av. Brasil
560P Cacaria x Itaguaí
709P Cacaria x Vila Geni via Piranema
738P Campo Grande x Ilha da Madeira via Piranema


Devido ao grande número de linhas sobrepostas na BR-465, considerando as linhas que foram adquiridas e as que continuaram com a Ponte Coberta, houve um enxugamento, onde as linhas mais longas foram seccionadas em Seropédica e as mais curtas foram extintas.



Aos fins de semana e feriados, a linha 705P era estendida até Nilópolis
Com isso, a Ponte Coberta ficou apenas com as linhas:

517I Nova Iguaçu x Praça Castilho
544P Nilópolis x Seropédica
547P Edson Passos x Sepetiba
548P Nilópolis x Campo Grande
704P Lagoinha x Campo Grande

705P Edson Passos x Bangu
742P Cabuçu x Campo Grande
743P Jardim Paraíso x Campo Grande
745P Nilópolis x Praça Castilho
746P Parque São Francisco de Paula x Campo Grande




Atualmente a linha 547P faz o trajeto Sepetiba x Jardim Paraíso. Esse trajeto foi seccionado no início dos anos 90 com a entrada dos novos sócios.



A linha 705P foi criada em 1992 pela Feital Transportes e Turismo.



A linha surgiu de um itinerário "Piarata" iniciado pela Feital Transportes e Turismo na década de 90.
A linha Nova Iguaçu x Bangu favoreceu aos moradores da Estrada de Madureira, que até então eram obrigados a fazer escala em Campo Grande. Os moradores do Jardim Paraíso chegaram a fazer um abaixo-assinado para a permanência da linha que, favorecia a eles uma economia de CR$ 76 diariamente.


RJ 190.077 incendiado na BR-465 durante a manifestação contra a proibição da circulação de 10 ônibus da Feital - Foto: Chiquito Aves

Em outubro de 1993, O DETRO-RJ proibiu a Feital Transportes e Turismo de operar a linha sem autorização. Segundo o o DETRO-RJ, se tratava de um itinerário ilegal, mas necessário, estimando ainda a demanda de 180 mil a 300 mil passageiros por dia, o que gerou a revolta que atingiu as empresas Viação Ponte Coberta e Expresso Nossa Senhora da Glória - que operam basicamente no eixo da Estrada de Madureira.




A criação da linha movimentou principalmente passageiros em direção à Bangu e outras áreas da Zona Oeste, área basicamente atendida pela Viação Ponte Coberta, com linhas entre Cabuçu, Nilópolis, Jardim Paraíso, Lagoinha na Baixada Fluminense e Campo Grande. Ao todo com 34 ônibus e 463 mil passageiros na época.


Moradores do Jardim Paraíso depedram ônibus após a suspensão de uma linha "pirata" - Foto: Chiquito Aves

A suspensão da linha trouxe revolta aos moradores da região que, em protestos realizados nos dias 7 e 8 de outubro daquele ano,  apedrejaram 14 ônibus da Viação Ponte Coberta e Expresso Nossa Senhora da Glória na Antiga EStrada Rio-São Paulo. 
Os ônibus eram das linhas Nova Iguaçu x Sepetiba e Nova Iguaçu x Belvedere. Os ônibus foram interceptados em frente à Estação de Tratamento do Guandu.


Manifestantes apedrejam ônibus da Viação Ponte Coberta na BR-465 - Foto: Chiquito Alves
A manifestação dorou cerca de 10 minutos, sendo interrompida com a chegada da Polícia Militar. Com a chegada da patrulha rodoviária, os veículos seguiram escoltados em comboio.



As empresas Ponte Coberta e Glória chegaram a interromper a operação de suas linhas e retornaram mais tarde, porém sem que seus veículos passassem pelo Jardim Paraíso e pelo Parque Pêra-Flor.



Após tanta insistência e reinvidicação da população, a linha foi então criada, sendo operada em pool pelas empresas Ponte Coberta, Feital e Real Rio (que operou por apenas 1 semana).



Em 2005 a Feital sofreu intervenção do DETRO-RJ e a Viação Ponte Coberta - que já estava operando em pool - passou a operá-la sem concorrência.


No dia 9 de agosto de 2017, o DETRO-RJ publica a Portaria de nº 1337, intervindo na prestação de serviços da Viação Costeira.
Com a intervenção, a Viação Ponte Coberta recebeu a permissão para operar algumass linhas com trajeto na RJ-105 Avenida Abílio Agusto Távora (Estrada de Madureira).




450T Nova Iguaçu x Itacuruçá via Avenida Brasil
452T Duque de Caxias x Muriqui via Nova Iguaçu


456I Duque de Caxias x Km 32/BR-465 via Nova Iguaçu
456T Duque de Caxias x Itacuruçá via Nova Iguaçu



Com a aquisição dessa linha, a Viação Ponte Coberta volta a operar em Itaguaí depois de quase três décadas de sua saída, após o repasse do setor para a Expresso Real Rio.




Grupo Ponte Coberta - 1ª formação

Entre as décadas de 70 e 80, alguns empresários se agruparam para consolidar a presença e impedir a entrada de outras empresas em sua área de atuação.


Com isso, havia um grupo formado pelas empresas, Viação Ponte Coberta, Viação Itaguaí, Expresso Nossa Senhora da Glória, Companhia Encontro SA e Viação Nossa Senhora Aparecida.



Fundada em 1983, a Viação Itaguaí dividia com a Viação Ponte Coberta a operação das linhas municipais em Itaguaí. As linhas da Viação Itaguaí atendiam principalmente as localidades de Belvedere, Itinguçu, Santa Sofia e o distrito de Nono.



Coesa fazia inicialmente as linhas:

426P Itaguaí x Cesarão > Passada para a Expresso Pégaso
425D Bangú x Venda da Cruz > Passada para a Viação Mauá
424D São Gonçalo x Campo Grande > Passada ara a Viação Mauá
708D Madureira x Caramujo > Passada para a Rio Ita
423D Vila Isabel x Neves > Operada pela Coesa



O conglomerado começa a se desfazer no início dos anos 90.


A Coesa tranfere sua área de atuação para a costa leste da Baía de Guanabara, deixando suas linhas da Zona Oeste nas mãos da Expresso Mangaratiba e Expresso Real Rio.


Com a saída da COESA, a migração da Ponte Coberta e Glória para o Grupo JAL e o encerramento da Aparecida, a Viação Itaguaí foi vendida para a Rio Pérola Transportes e Turismo (Elohin).


Ônibus da Viação Rio Pérola atravessando a antiga ponte de madeira em Mazomba em novembro de 1979
Foto: O Globo



Com a tranferência do seu controle societário, a Viação Itaguaí perde espaço na cidade para as Viações Elohin e Emanuel, que mais tarde se tornaram a Viação Cidade de Itaguaí, não tendo nenhum vínculo com a anterior.




A Viação Nossa Senhora Aparecida, com uma área de atuação pequena, é absorvida pela Empresa de Transportes Flores, ao ter adquirido a Viação Ponte Coberta e Expresso Nossa Senhora da Glória.




A Viação Nossa Senhora da Conceição, extinta em 1979, mantia a sua empresa de Turismo, a Conceitur Transportadora Turística, com registro Embratur 070065600.0 para viagens nacionais e internacionais.


A parte de turismo era sediada na Rua Carlos de Souza Fernandez em Olinda. A empresa tinha muitos veículos agregados à sua Frota.

Com a dissolução da empresa urbana, a Conceitur com 5 veículos foi adquirida pela Viação Ponte Coberta.



Formação do Grupo Transmil

Até 1999 a Viação Ponte Coberta, Expresso N.S. Gloria juntamente com a Real Rio formavam um subgrupo e a Trans1000, embora tivesse uma boa participação do grupo JAL funcionava de forma independente.

No final daquele ano as garagens da Ponte e da Gloria foram desativadas e os carros da Gloria passaram a recolher na garagem da Transmil em Queimados e os da Ponte recolhiam na garagem de Edson Passos, também da Trans1000.


Expresso Nossa Senhora da Glória
A Turismo Transmil recolhia nas duas garagens, e posteriormente, após a entrada da Gardel ao grupo, a Glória passou a recolher em Edson Passos.



Nessa fase os despachantes e fiscais de ponto usavam o uniforme da Trans1000 e os aros da PC e Gloria foram pintados de prata.
Ao entrar para o grupo, a  Gardel Turismo passou a ter sua administração na garagem da Transmil, em Queimados.


A primeira empresa do grupo a ser fundada foi a Expresso Nossa Senhora da Glória, no dia 3 de fevereiro de 1964.

Expresso Nossa Senhora da Glória - Foto: Reprodução da internet
Sua primeira garagem ficava localizada na Rua Doutor Thibal, 80 no Centro de Nova Iguaçu e, em 1970, foi transferida para a Estrada Abílio Augusto Távora, em Cabuçu. Com a formação od Grupo Transmil, a Glória desativou a sua garagem em Cabuçu e se manteve na sede do grupo em Cosmorama.



A Expresso Nossa Senhora da Glória opera linhas municipais em Nova Iguaçu, tendo como principal área de atuação a Avenida Abílio Augusto Távora em toda a sua extensão.


A Gardel Turismo foi fundada em 9 de agosto de 1973. Sua garagem sede está localizada no bairro Ponte Preta, Queimados.

A empresa opera entre nos municípios de Japeri e Queimados, onde possui linhas intermunicipais e municipais. Suas linhas em ambos os municípios atentem aos bairos localizados entre a Estrada de Ferro e a Rodovia Presidente Dutra. O outro lado da ferrovia é atendido pela Fazeni Transportes e Turismo.



Enquanto integrava o Grupo Transmil, a empresa era administrada na garagem da Turismo Transmil.



Grupo Ponte Coberta > 2ª Formação

Em 2003, a Turismo Transmil deixa o Grupo JAL, e sob o controle de seus novos administradores, Antonio Carlos Miranda e José Roberto Reis, entra em crise financeira e deixa de fazer parte do grupo, fazendo que o mesmo entrasse em extinção no mesmo ano. 


Com a saída da Transmil, foi criado o Grupo Ponte Coberta, com o objetivo de tornar uma união de empresas em uma só sede administrativa.




A Viação Acari só passou a fazer parte do Grupo Ponte Coberta, já sem a participação da Turismo Trans 1000 em 2003.



A Viação Acari foi formada em 1962, atendendo às determinações do Governo do Estado da Guanabara, que obrigava os proprietários de lotações individuais a se organizarem em empresas.

A sociedade foi fundada através de Assembleia Geral Constituinte realizada no dia 25 de março de 1962, com frota inicial de 20 lotações, cadastrados na linha Meier x Acari.



Tags :

Nenhum comentário:

Postar um comentário

[2][iconeI][style-1][LEIA TAMBÉM][As mais lidas até o momento]

Somos movidos pelo interesse de explorar os meios, modos e regras que integram o sistema de mobilidade urbana no Estado do Rio de Janeiro. O avanço tecnológico tem trazido mais dinamismo nas cidades, fazendo com que a população evolua e acompanhe esse avanço.

Buscamos obter informações, matérias, históricos e projetos de mobilidade e transformação urbana, assim como a realização de visitas técnicas em empresas, concessionárias e instituições relacionadas à Mobilidade Urbana do RJ, cuja perspectiva é abordar temas mais diversos e estar inteirado no que há de vir nos serviços de transportes.


Mobilidade nas Ruas: Distrito de Santo Aleixo (Magé)

O Distrito de Santo Aleixo localiza-se no extremo norte do município de Magé, junto às divisas de Petrópolis e Guapimirim; distanciando-se n...

NOSSOS PARCEIROS