Rotas Fluminenses: Caminhos da Serra

| Sem comentário
O Estado do Rio de Janeiro possui diversas linhas de ônibus que trafegam em regiões de serra.
Para atender a essas linhas com trajetos peculiares, as empresas muitas das vezes precisam adequar a sua frota com veículos adaptados para facilitar a condução e diminuir os riscos de acidentes e avarias nos seus ônibus.



A característica topográfica dos itinerários atrapalham a rotina dos ônibus, principalmente naquelas onde o poder público não realiza obras estruturais nas vias, o que leva as empresas a agir levantando as suspensões dos veículos que em determinados lugares, fica difícil passar, haja vista as linhas que sobem grandes morros ou trafegam por ruas super estreitas.

Dentre as linhas com essas características, abordamos algumas com itinerário sobre serra.



Linha: 411N Imbariê x Petrópolis via Piabetá
Extensão da linha: 26,6Km
Empresa: Transturismo Rei Ltda

Município de Origem: Duque de Caxias na Região Metropolitana
Município de Destino: Petrópolis na Região Serrana

Serra percorrida: Serra de Estrela entre os municípios de Magé e Petrópolis



A linha corta a Mata Atlântica e por toda a  extensão de Serra, podemos encontrar contrastes entre os belos pontos naturais, muita mata, antigas e humildes vilas e barracos na localidade de Meio da Serra, divisa entre os municípios de Magé e Petrópolis.





A principal via de deslocamento da linha é pela Estrada RJ-107, uma das estradas mais antigas do Brasil conhecida popularmente como Estrada Velha, já que antes da inauguração da BR-040 este era o principal acesso para a cidade da Região Serrana Fluminense.

O trajeto, aberto por colonos germânicos em 1840, começa em Raiz da Serra e percorre a Serra da Estrela revelando paisagens com ângulos inusitados, como a que descortina a Baía de Guanabara e a Baixada Fluminense.



Linha: L408 Angra dos Reis x Rio Claro via Lídice
Extensão da linha: 46,3Km
Empresa: Colitur Transportes Rodoviários

Município de Origem: Angra dos Reis na Costa Verde do Sul Fluminense
Município de Destino: Rio Claro na Região do Médio Paraíba

Serra percorrida: Serra D'água entre os municípios de Angra dos Reis e Rio Claro


A principal via dessa linha é a Estrada RJ-155, conhecida como Angra-Getulândia
Até 1928, a estrada era o único caminho terrestre de acesso ao litoral sul-fluminense, quando, naquele ano, foi inaugurado o trecho entre Barra Mansa e Angra dos Reis da Linha Tronco da Rede Mineira de Viação.







Seu traçado é sinuoso com curvas perigosas e traiçoeiras. Inicialmente muitas fazendas de gado e muitas montanhas. A partir de Lídice, a via passa a acompanhar o Rio Piraí em seu trecho mais encachoeirado e com corredeiras, para em seguida descer a Serra D’água, que na verdade é um trecho da Serra do Mar. Grande parte do traçado contorna montanhas em meio à Mata Atlântica.



Linha: MP10 Barra do Piraí x Paracambi via Morsing
Extensão da linha: 47,6Km
Empresa: Viação Barra do Piraí

Município de Origem: Barra do Piraí na Região do Médio Paraíba
Município de Destino: Paracambi na Região Metropolitana

Serra percorrida: Serra das Araras entre os municípios de Mendes e Paracambi


Na região de Mendes, a Serra se identifica pelos vales estreitos entre elevações colinas, que se estendem com seus morros recobertos com densa vegetação.



A maior parte do trajeto em meio à Serra das Araras, é realizado através da Estrada RJ-127, que liga a Rodovia Presidente Dutra em Paracambi à Rodovia Lúcio Meira em Vassouras. A linha percorre a RJ-127 desde o Centro de Paracambi ao Centro de Mendes, onde acessa a RJ-133. Dali segue até Rosa Machado, onde alcança o Rio Piraí e o acompanha pela sua margem direita até o Centro de Barra do Piraí.



Essa estrada possui trechos perigosos, principalmente na serra de Mendes, onde a pista é estreita e muito sinuosa.



Linha: MP14 Piraí x Seropédica via Caiçara
Extensão da linha: 50,9Km
Empresa: Viação Cidade do Aço

Município de Origem: Piraí na Região do Médio Paraíba
Município de Destino: Seropédica na Região Metropolitana

Serra percorrida: Serra das Araras entre os municípios de Piraí e Paracambi



A Serra das Araras é tida por muitos como uma área de grande beleza ambiental, apesar de grandes áreas terem sido desmatadas tanto por plantações diversas e criações de gado como por desastres naturais. Também é conhecida por ser o trecho onde há a maior divisão das pistas da Rodovia Presidente Dutra, entre os quilômetros Norte Km 229 logo após o posto da Policia Rodoviária Federal, e Sul Km 220, no município de Piraí.


Trecho sinuoso da Serra das Araras dificulta a circulação de cargas - Foto: Reprodução da internet
Com seu traçado original de 1928, a pista de descida da Serra das Araras entre Piraí e Paracambi, tem curvas acentuadas que dificultam a circulação de cargas especiais – com grandes dimensões ou muito pesadas.



A linha que parte da BR-465 em frente à sede da UFRRJ, segue por essa até a Rodovia Presidente Dutra. Em alguns horários, atende também a localidade de Cacaria, no distrito piraiense de Vila Monumento. Dali retorna à BR-116 pela mesma estrada. Após passar pelo bairro Ponte Coberta, inicia-se o trecho de serra.




Linha: MS11 Teresópolis x Guapimirim via Parada Modelo
Extensão da linha: 28,2Km
Empresa: Viação Teresópolis e Turismo

Município de Origem: Teresópolis na Região Serrana
Município de Destino: Guapimirim na Região Metropolitana

Serra percorrida: Serra dos Órgãos no município de Guapimirim



Partindo do Terminal Rodoviário José de Carvalho Zanotti, a linha segue pela Avenida Lúcio Meira em direção ao Alto. Dali pela Avenida Rotariana, alcança a BR-116 Rodovia Santos Dumont no bairro do Soberbo.



Atingindo os limites de Guapimirim, inicia-se o trecho de serra que se estende até a Vila Guapi. O nome "Serra dos Órgãos" vem da semelhança percebida das formações rochosas verticais criadas pela erosão aos tubos de órgãos usados ​​nas igrejas portuguesas da época colonial.



A origem da Rodovia Santos Dumont é a ligação do Rio a Minas Gerais, caminho que encurtava em quatro dias a viagem entre as duas províncias. Ao longo dos anos, foi conhecida como Estrada Nova de Minas, Estrada Imperial e Estrada Direta.

Em 1908, foi inaugurada a Estrada de Ferro Therezopolis, que levava viajantes vindos do Rio, do Porto de Magé a Teresópolis. O traçado da ferrovia serviu de referência, muitos anos depois, quando da construção do trecho da Serra da Rodovia Santos Dumont.



O Parque Nacional da Serra dos Órgãos é cortado por notável rede hidrográfica, representada pelos rios Paquequer, Beija-Flor, Soberbo, Iconha, Bananal, Santo Aleixo, Itamarati, Bonfim e Jacó, o solo do Parque deu origem à densa floresta, com diversos ambientes.



Linha: S105 Nova Friburgo x Cachoeiras de Macacu
Extensão da linha: 42Km
Empresa: Auto Viação 1001

Município de Origem: Nova Friburgo na Região Serrana
Município de Destino: Cachoeiras de Macacu na Região das Baixadas Litorâneas

Serra percorrida: Serra da Boa Vista entre os municíio de Nova Friburgo e Cachoeiras de Macacu



Partindo do Terminal Rodoviário de Cachoeiras de Macacu, a linha tem como via principal de deslocamento a RJ-116 Rodovia Presidente João Goulart.



A Estrada segue em trecho de serra entre a Boca do Mato em Cachoeiras de Macacu e Teodoro de Oliveira em Nova Friburgo.
Toda essa extensão da estrada em meio a serra, está situado dentro dos limites do Parque Estadual dos Três Picos.



O Vale do Rio Macacu segue em paralelo a rodovia, que foi construída com base no leito da Estrada de Ferro Linha do Cantagalo.



Linha: MP74 Arcozelo x Japeri
Extensão da linha: 48,7Km
Empresa: Linave Transportes

Município de Origem: Paty do Alferes na Região Centro-Sul
Município de Destino: Japeri na Região Metropolitana

Serra percorrida: Serra das Araras em Miguel Pereira



Partindo do Centro do município de Japeri, a linha segue em todo seu itinerário, a RJ-125 Estrada Japeri-Miguel Pereira. Entre Japeri e Arcádia, a linha segue por 25km margeando o Rio Santana. A partir de Arcádia, localidade pertencente ao distrito miguelense de Conrado, são aproximadamente 10 quilômetros de serra.



O trecho apresenta características rurais com muitos sítios, pastos e uma grande área verde. Cortado pelo caudaloso Rio Santana, o caminho possui belas cachoeiras nas localidades de Santa Branca e Mangueiras, além de riachos e de uma fauna rica e bela.





Linha: 149N Duque de Caxias x Petrópolis
Extensão da linha: 48,5Km
Empresa: Fácil Transportes e Turismo

Município de Origem: Duque de Caxias na Região Metropolitana
Município de Destino: Petrópolis na Região Serrana

Serra percorrida: Serra das Araras em Petrópolis.



A linha parte do Terminal Rodoviário de Duque de Caxias, localizado junto ao Center Shopping. Como via principal, a linha segue pela Rodovia Washington Luís a partir do Parque Duque. O trecho de Serra percorrido se inicia na Vila Santa Alice e segue até o Bingen onde está situado o Terminal Rodoviário Leonel Brizola.



A Rodovia Washington Luís foi inaugurada pelo presidente Washington Luís, em 25 de agosto de 1928. Atualmente é parte da BR-040.



A região da serra petropolitana é também chamada de "Serra Imperial", devido ao fato da cidade ter servido de residência ao Imperador Dom Pedro II, que herdou de seu pai as terras da Fazenda Córrego Seco, onde então construiu seu palácio. Petrópolis significa “Cidade de Pedro".


Linha: 590I Itaguaí x Nonô via Caçador
Extensão da linha: 29,6Km
Empresa: Expresso Recreio Transporte de Passageiros

Município de Origem: Itaguaí na Região Metropolitana
Município de Destino: Piraí na região do Médio Paraíba

Serra percorrida: Serra da Calçada.



A linha parte do Terminal Rodoviário Otoni Rocha em Itaguaí. Após deixar o Centro da cidade, segue pela Estrada dos Caçadores, onde cruza o Canal Santo Antônio no bairro dos Teixeiras. A partir daí, a região é predominada por grandes fazendas e sítios.

Já chegando em Ibituporanga, iniciam-se as rampas de subida da Serra do Matoso.



Após a primeira rampa, a linha acessa a Estrada do Nonô. Entre a mata e o penhasco, a linha segue por meio de curvas sinuosas da Serra da Calçada em Piraí até ultrapassar os limites de Rio Claro.



O caminho sinuoso percorrido pela linha foi aberto pelos padres jesuítas no século XVII. Sua contrução, ligando hoje Itaguaí ao município vizinho de Piraí durou mais de três séculos.



A estrada foi aberta à fim de encurtar a viagem exaustiva e perigosa que era feita por mar de Paraty ao porto do Rio, pois habitavam na Ilha Grande uma grande quantidade de corsários que assaltavam as embarcações que por ali passavam e eram presenciados diversos naufrágios naquele lugar.

Vista da Serra do Matoso - Foto: Reprodução da internet
Três séculos passados, a via não sofreu nenhum tipo de investimento ou melhorias por parte dos governantes locais. A estrada é de terra, o que dificulta a locomoção em períodos de fortes chuvas.

Tags : , ,

Nenhum comentário:

Postar um comentário

[2][iconeI][style-1][LEIA TAMBÉM][As mais lidas até o momento]

Somos movidos pelo interesse de explorar os meios, modos e regras que integram o sistema de mobilidade urbana no Estado do Rio de Janeiro. O avanço tecnológico tem trazido mais dinamismo nas cidades, fazendo com que a população evolua e acompanhe esse avanço.

Buscamos obter informações, matérias, históricos e projetos de mobilidade e transformação urbana, assim como a realização de visitas técnicas em empresas, concessionárias e instituições relacionadas à Mobilidade Urbana do RJ, cuja perspectiva é abordar temas mais diversos e estar inteirado no que há de vir nos serviços de transportes.


Mobilidade nas Ruas: Distrito de Santo Aleixo (Magé)

O Distrito de Santo Aleixo localiza-se no extremo norte do município de Magé, junto às divisas de Petrópolis e Guapimirim; distanciando-se n...

NOSSOS PARCEIROS