Bastidores do Sistema - Equipamentos de manutenção ferroviária

| Sem comentário
Há 17 anos operando o serviço de trens urbanos da Região Metropolitana do Rio de Janeiro, a SuperVia vem investindo na expansão e em melhorias contínuas.


Locomotivas Alco RS 3 da SuperVia - Foto: Cleiton Pieruccini

Em novembro de 2010, a Odebrecht TransPort, uma empresa da Organização Odebrecht com foco em mobilidade urbana, concessões rodoviárias, sistemas integrados de logística e aeroportos assumiu o controle acionário da SuperVia.

Esta mudança aconteceu em um momento de grande importância para a cidade do Rio de Janeiro, que vinha se preparando para receber eventos de porte internacional: a Jornada Mundial da Juventude em 2013, Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016. A empresa, que transporta sustentavelmente através de energia limpa uma média de 700 mil passageiros por dia útil, atua em uma malha viária de 270 km em oito ramais.


Trens da SuperVia - Foto: Reprodução da Internet

O percurso atravessa o Rio de Janeiro e mais onze municípios da Região Metropolitana (Duque de Caxias, Nova Iguaçu, Nilópolis, Mesquita, Queimados, São João de Meriti, Belford Roxo, Japeri, Magé, Paracambi e Guapimirim). No dia 8 de outubro de 2015 foi alcançado o recorde de 729 mil passageiros, com cerca de 95% pagantes. Em apenas cinco anos a empresa conseguiu recuperar quatro décadas de abandono, melhorando a qualidade do serviço, espírito de servir, transparência e comprometimento com os usuários.


Atualmente são 1.200 viagens diárias e dezesete estações já foram revitalizadas visando o conforto e acessibilidade dos passageiros.


SEGURANÇA E TECNOLOGIA

Avaliações periódicas são realizadas em relação a qualidade do serviço prestado, com pesquisa junto aos passageiros e revisão periódica de seus processos operacionais e de manutenção, há investimento constante na questão do controle das condições da Via Permanente com a utilização do Carro Controle que faz um diagnóstico preciso e detalhado das condições da via (dormentes, trilhos e maquinas de chave) que permite, através de Geolocalização, mapear os pontos criticos exatamente no local onde se materializa a posivel falha.


Estação Central do Brasil - Foto: SuperVia

Além disso a empresa adota o sistema de sinalização ATP (Automatic Train Protection), equipamento que funciona a partir de sensores instalados nos trens e na via férrea. Nos trens, ele é instalado na cabine de condução (primeiro carro). Na via férrea, fica entre os trilhos. Ele permite a redução dos intervalos entre as composições de forma ainda mais segura, com controle automático da velocidade das composições.

Os investimentos tecnológicos da Supervia contam com:

Centro de Controle Operacional (CCO)

Em funcionamento desde janeiro de 2012, foram investidos R$ 40 milhões no novo Centro de Controle Operacional (CCO) que automatiza os registros da circulação, conferindo mais agilidade à operação, além de contar com sistema de comunicação integrada, plano de contingência, painel digital que concentra informações de todo o sistema em tempo real e o monitoramento das estações por meio de câmeras de segurança.


Centro de Controle Operacional Supervia - Foto: Estefan Radovicz / Agência O Dia

Centro de Treinamento Operacional (CTO)

O Centro de Treinamento Operacional que possui dois simuladores de condução de trens para aperfeiçoar o treinamento dos maquinistas e um simulador para treinamento no novo sistema de reforço à sinalização.


Simulador do Centro de Treinamento da Supervia - Foto: Jornal Gazeta

Os profissionais podem vivenciar todas as situações reais de um dia de trabalho, sem sair do lugar. Para deixar a simulação o mais perto possível da realidade, as imagens reproduzidas no telão da sala de treinamento foram filmadas com uma câmera, instalada na parte dianteira dos trens, que registrou o percurso de todos os ramais.


Automatic Train Protection (ATP)

Com um investimento de R$ 150 milhões, o novo equipamento que reforça o sistema de sinalização já está instalado nos cinco ramais eletrificados da SuperVia - Deodoro, Santa Cruz, Japeri, Belford Roxo e Saracuruna – e em instalação gradativa em todos os trens.



O ATP possibilita a redução do intervalo entre trens por meio de uma condução ainda mais segura em que a velocidade das composições é controlada automaticamente por meio de 3.220 balizas.


Balizamento do sistema de frenagem ATP - Foto: Reprodução da internet

Com essa tecnologia os trens podem circular mais próximos uns dos outros, reduzindo assim o tempo de espera nas plataformas.


Information Delivery System (IDX)


Sistema automátizado de sonorização - Foto: Reprodução da internet

Após investir R$38 milhões em um moderno sistema de comunicação implantado pela SuperVia (mesmo utilizado em mais de 50 aeroportos pelo mundo e na Grand Central Terminal, em Nova Iorque), o equipamento atualmente em fase de instalação permite levar informações em áudio e vídeo para os passageiros diretamente nas plataformas, possibilitando que os clientes verifiquem e acompanhem o intervalo entre os trens de forma regressiva.



Carro Controle - Foto: Supervia



Carro Controle

Utilizado no trabalho de manutenção preventiva mensalmente, realiza inspeção automática a laser de todos os parâmetros e condições da via férrea (trilhos, dormentes, lastro, parafusos) propiciando uma manutenção qualificada dos locais que realmente necessitam.




Retroescavadeira rodoferroviária

São duas retroescavadeiras que automatizam e agilizam o processo de instalação de dormentes, possibilitando a troca de 60 mil dormentes por ano.


Retroescavadeira Rodoferroviária - Foto: Odebrecht Transport

Esse trabalho de substituição oferece maior segurança operacional ao sistema ferroviário, uma vez que confere mais estabilidade ao trem, gerando a redução do tempo de viagem e conforto aos passageiros.


Outros equipamentos









Referências Bibliográficas


Brasil Business, Odebrecht Transport, Jornal O Dia, Brand Definitivo, SuperVia, Imprensa Oficial do Estado do Rio de Janeiro, BiznesAlert, IronTrain.
Tags : , ,

Nenhum comentário:

Postar um comentário

[2][iconeI][style-1][LEIA TAMBÉM][As mais lidas até o momento]

Somos movidos pelo interesse de explorar os meios, modos e regras que integram o sistema de mobilidade urbana no Estado do Rio de Janeiro. O avanço tecnológico tem trazido mais dinamismo nas cidades, fazendo com que a população evolua e acompanhe esse avanço.

Buscamos obter informações, matérias, históricos e projetos de mobilidade e transformação urbana, assim como a realização de visitas técnicas em empresas, concessionárias e instituições relacionadas à Mobilidade Urbana do RJ, cuja perspectiva é abordar temas mais diversos e estar inteirado no que há de vir nos serviços de transportes.


Mobilidade nas Ruas: Distrito de Santo Aleixo (Magé)

O Distrito de Santo Aleixo localiza-se no extremo norte do município de Magé, junto às divisas de Petrópolis e Guapimirim; distanciando-se n...

NOSSOS PARCEIROS