Rotas Fluminenses: MP14 Piraí x Seropédica via Caiçara

| Sem comentário
Dados da linha:
Linha: MP14 Piraí x Seropédica via Caiçara
Empresa: RJ174 Viação Cidade do Aço Ltda
Tipo: Urbana Intermunicipal

A linha parte da Rodoviária Thereza Bastos Muller que está localizada no centro do município às margens da Estrada RJ-145 que liga o distrito de Passa Tês em Rio Claro até Manuel Duarte em Rio das Flores.



O município de Piraí remete aos tempos áureos das plantações do século XVIII. Teve seu início marcado pela construção da Capela de Sant’Anna, em 1772. Hoje, reformada, abriga a principal igreja da cidade.

Outra construção remanescente do período dos barões é o Casarão de Arrozal, no distrito de mesmo nome. A natureza preservada da região está protegida através dos parques da Mata do Amador e do Lago do Caiçara. Já o Reservatório de Ribeirão das Lajes abriga centenas de animais como tatu, capivara, anta, javali e onça pintada, além de espécies variadas de peixes.


O desbravamento de seu território é conseqüencia do trânsito que, desde a segunda metade do século XVI, se verificava no Rio Paraíba, pelo qual se faziam as comunicações entre as "Minas Gerais" e o Rio de Janeiro. 

São tidos como primeiros povoadores de seu solo, sendo ignoradas as datas em que estabeleceram na região pequenas culturas, Quitéria Rodrigues, Domingos Alvares dos Reis Lousada, José Urbano, Antônio Jorge e João Batista Feijó.

Em 1811, o bispo D.José Caetano resolveu conceder-lhe o predicamento de freguesia curada. Seis anos mais tarde passou à categoria de freguesia perpétua. Em 1837 foi elevada à categoria de Vila com a denominação de Santana do Piraí e grande foi o surto de progresso que se verificou na região principalmente com a cultura do café.


-----------------------------------------


Saindo do terminal seguimos pela RJ-145 denominada Rua Bulhões de Carvalho até o bairro Santa Amália. A partir daí a estrada passa a se chamar Avenida Guadalajara até a divisa com o município de Rio Claro. Vale considerar que a RJ-145 acompanha o leito do Rio Piraí desde Rio Claro até Barra do Piraí, onde este deságua no Rio Paraíba do Sul.



A atual rodoviária foi construída no local onde até 1944 havia a estação ferroviária de Pirahy.

A estação foi construída e inaugurada em 1883. Junto à estação havia uma oficina.
Em 1896 a Estrada de Ferro Sapucaí compra o ramal de Passa Três e o incorpora à Linha da Barra.
Em Barra do Piraí havia a transferência entre as composições para dar sequência à viagem, já que as bitolas não eram as mesmas entre as linhas. Então a Linha da Barra integrava o trecho Soledade - Barra do Piraí - Piraí - Passa Três.




No início da década de 1940 foram erradicados o trecho Barra do Piraí-Passa Três e em 1944 a linha foi arrancada e a estação de Piraí foi demolida.
O que hoje chamamos de Estrada RJ-145, nada mais é do que o caminho por onde passava a ferrovia que acompanhava o curso do Rio Piraí. No local da estação de Piraí foi construído um terminal rodoviário.



-----------------------------------------

No bairro Quatro de Abril encontramos com a BR-116 Rodovia Presidente Dutra e continuamos a viagem por ela em direção à Seropédica.

Na saída 232 da rodovia chegamos em Ribeirão das Lajes no entroncamento com a Estrada RJ-139 Rodovia Presidente Washington Luiz. Essa é parte integrante da Antiga Estrada Rio-São Paulo, aberta em 1928.

Chegando em Caiçara as pistas da Via Dutra se separam e voltam a se encontrar em Ponte Coberta no município de Paracambi.

Passamos por diversas curvas sinuosas e vists esplêndidas da Serra das Araras e da Represa de Ribeirão das Lajes.


Monumento Belvedere - Monumento aos Rodoviários

Um descaso que já dura 35 anos. No topo da Serra das Araras, às margens do Km 226 da Via Dutra, em Piraí, no Sul Fluminense, o Monumento Belvedere, fechado desde 1978, virou símbolo do abandono de patrimônios nacionais. 


Monumento aos Rodoviários  - 1939

Localizado numa área de 54 mil metros quadrados de construção arquitetônica em estilo art déco, o monumento teve sua pedra fundamental lançada em 1928 pelo presidente Washington Luiz, como marco da abertura de estradas no Brasil e em homenagem aos rodoviários.

O local ostenta um imponente farol de 46 metros de altura, erguido sobre dois pavimentos, que abrigavam um restaurante. O equipamento — único do gênero no Brasil — lançava fachos de luz que giravam 360 graus, alertava pilotos de aeronaves e podiam ser vistos a longas distâncias. Na base da construção, na parte externa, oito raros baixos-relevos, em que figuras sobrelevam o plano que lhes serve de fundo, de autoria do escultor francês Freyhoffer, narrando a evolução dos meios de transporte no Brasil desde a época da escravidão.


Na parte interna, quatro painéis de Cândido Portinari, com o tema “A construção de uma rodovia”, em alusão à abertura da Via Dutra, foram retirados em outubro de 2000 e levados para o Museu de Belas Artes do Rio.



-----------------------------------------

Ainda em Ribeirão das Lajes, passamos próximo à Usina Hidrelétrica Pereira Passos e chegamos em Ponte Coberta no município de Paracambi.

Ponte Coberta marca o início da subida da serra onde em 1967 ocorreu a pior tragédia na Serra das Araras.


A Serra das Araras foi o palco da maior tragédia do Brasil




Em março de 1967, um temporal atingiu a região e provocou deslizamentos em um diâmetro de aproximadamente 30 quilômetros construindo um enorme cemitério provocado pela natureza.

Cerca de 1400 mortos, onde apenas 300 corpos foram encontrados na pior tragédia registrada no Brasil até aquele ano.


Ônibus da Viação Cometa na Serra das Araras, em 1967.
Motorista só não salvou um passageiro

Durante o dissolvimento do relevo, os rios de lama desceram arrastando ônibus, carros e caminhões. A maioria dos veículos soterrados jamais foram encontrados, assim como mais de mil corpos. Devido a uma ponte que foi arrastada e encoberta pela avalanche, a Via Dutra teve seus dois sentidos interditados interditados por mais de três meses.


-----------------------------------------

Passando em Ponte Coberta, temos a saída 219 da Via Dutra que dá acesso ao bairro, às usinas hidrelétricas de Pereira Passos e a usina PCH Paracambi (Pequena Central Hidrelétrica de Paracambi), assim como a Vila Theodoro em Paracambi onde termina na RJ-127 Estrada do Cabral.



Usina de Fontes - Trilhos ao lado direito














Essa estrada foi aberta em 1907 para construção da Estrada de Ferro Fontes, criada para auxiliar na construção da Usina de Fontes e a represa de Ribeirão das Lajes. A linha suprimida em 1950 iniciava na estação Lages do ramal de Paracambi.
Na baldeação os engenheiros e colaboradores da usina embarcavam em um trólei que seguia para a usina.





-----------------------------------------


Em poucos metros a frente estamos ao lado do Rio das Lages e seguimos o seu leito até Ibituporanga em Itaguaí. A entrada no município de  Itaguaí é marcada pela Travessia do Rio das Lajes e pela Estrada de Cacaria que começa nesse ponto e vai até o bairro com esse nome em Piraí.

Após esse ponto chegamos em Belvedere no entroncamento com a RJ-127 Estrada do Cabral, nesse ponto temos a fronteira entre Paracambi, Seropédica e Itaguaí, e quando passamos o acesso à Estrada dos Caçadores entramos no município de Seropédica.

Em Santa Sofia acessamos a Rodovia BR-465 Antiga Estrada Rio-São Paulo e após a praça do pedágio vamos em direção ao centro atravessando o Floresta Nacional Mário Xavier e cruzando o Arco Metropolitano.



Em poucos instantes chegamos em Fazenda Caxias, onde estão localizados o centro econômico do município de Seropédica e o fim da nossa viagem na Avenida Ministro Fernando Costa. Essa é integrante da Rodovia BR-465 Rodovia Luiz Henrique Rezende Novaes.

Na volta à Piraí, a linha segue até a rotatória da BR-465 em frente à entrada da UFRRJ - Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro e segue em direção à Via Dutra.


Seropédica - "A Cidade da Seda"

A história de Seropédica está ligada diretamente à produção de seda. A região, na época chamada de Segundo Distrito (de Itaguaí), era conhecida por produzir a melhor do mundo. O próprio nome da cidade mostra essa ligação.

Ele é originário da fazenda Seropédica do Bananal de Itaguaí, de propriedade de Luiz Resende, que por volta de 1875, chegou a produzir cerca de 50 mil casulos de bichos da seda por dia.
O nome Seropédica surgiu da formação das palavras:
sericeo ou serico, de origem latina, que significa seda, e pais ou paidós, de origem grega, que significa tratar ou consertar. Um local, portanto, onde trata ou se fabrica seda.



Em 1995, face a edição da Lei n.º 2.446 de 12 de outubro, Seropédica tornou-se município independente de Itaguaí, e foi instalado em 01 de janeiro de 1997. Com a emancipação, Seropédica teve sua economia movimentada e ganhou grandes obras de infraestrutura.




Curiosidades e informações complementares:

Nos anos 70 a Viação Cidade do Aço expandiu a sua área de atuação quando a Evanil Transportes e Turismo entrou para o grupo em 1973.



Entre os novos itinerários estão as linhas do Sul Fluminense para municípios da Baixada Fluminense, como Itaguaí, Seropédica e Nova Iguaçu, assim como Mangaratiba, que já não pertence à Baixada.

Entre essas linhas para a Baixada Fluminense surgiu a MP14 Piraí x Seropédica

A Evanil também liga Nova Iguaçu a Volta Redonda, Barra Mansa e Resende.





-----------------------------------------


Referências Bibliográficas

Concessionária Novo Rio, IBGE Cidades, Cia de Ônibus, FLV, Seropédica Online, São Paulo Antiga, MAPIO, Contexto Livre, SILVA Ruan, Trilhos do Rio, Estações Ferroviárias, Itaguaí Antigo, Viação Cidade do Aço.
Tags : , , , , ,

Nenhum comentário:

Postar um comentário

[2][iconeI][style-1][LEIA TAMBÉM][As mais lidas até o momento]

Somos movidos pelo interesse de explorar os meios, modos e regras que integram o sistema de mobilidade urbana no Estado do Rio de Janeiro. O avanço tecnológico tem trazido mais dinamismo nas cidades, fazendo com que a população evolua e acompanhe esse avanço.

Buscamos obter informações, matérias, históricos e projetos de mobilidade e transformação urbana, assim como a realização de visitas técnicas em empresas, concessionárias e instituições relacionadas à Mobilidade Urbana do RJ, cuja perspectiva é abordar temas mais diversos e estar inteirado no que há de vir nos serviços de transportes.


Mobilidade nas Ruas: Distrito de Santo Aleixo (Magé)

O Distrito de Santo Aleixo localiza-se no extremo norte do município de Magé, junto às divisas de Petrópolis e Guapimirim; distanciando-se n...

NOSSOS PARCEIROS