Serviço Especial - Taiobão

| 1 Comentário
Os velhos bondes taiobas, que durante décadas transportaram cargas e passageiros no Rio de Janeiro, tiveram um sucessor:



No dia 13 de dezembro de 1990 foi inaugurado o serviço especial com um ônibus da Auto Viação Bangu, com espaço para grandes volumes fazendo a linha 790 Cascadura x Campo Grande.



Bonde Taioba - Bonde Caradura

Criado em 1884 com a finalidade de transportar qualquer tipo de bagagem e passageiros de origem humilde, que não tinham condições de usar o bonde comum, tinha como preço a metade da passagem normal- um tostão (cem réis).



Nele, os passageiros podiam viajar descalços e sem colarinho, carregando pacotes, aves, tabuleiros de doces, além das trouxas das lavadeiras. O bonde foi um sucesso popular e motivo de inúmeras histórias e anedotas.

A vida do Rio de Janeiro estava mudando, assim como mudavam seus tipos característicos, que logo desapareceriam para sempre. Os bondes foram desmontados e vendidos como sucata nos anos 1960. O derradeiro bonde a circular foi um Alto da Boa Vista, que fez sua última e solitária viagem em 1967, acompanhado por poucos passageiros. Sob as ruas do Rio atual estão enterrados seus restos: os velhos trilhos por onde deslizavam preguiçosos, festivos e barulhentos.


A origem do nome

Taioba é um vegetal com origem na América Central, apesar de China e Egito a utilizarem como alimento há milhares de anos.





Chegou no Brasil na bagagem dos colonizadores europeus e seu cultivo regionalizou-se em diversas partes do país. No Rio de Janeiro tem seu cultivo predominante na Zona Oeste, antes conhecida como Sertão Carioca.

O Serviço por ônibus - Os Taiobões


O Globo - 1991
A estratégia da SMTU – Superintendência Municipal de Transportes Urbanos era exigir que todas as empresas que atuam nos subúrbios e nas áreas rurais tivessem 20% desse ônibus em suas frotas, cujo objetivo era atender pessoas pobres que precisassem transportar grandes volumes, como lavadeiras, vendedores ambulantes e pequenos agricultores.



Segundo o superintendente da SMTU, Antônio Maia, autor da ideia, o movimento vinha sendo bom (cerca de 850 passageiros por dia), embora nas primeiras semanas muitas pessoas ainda não conheciam o serviço.



Levavam desde galinhas e porcos vivos até sacolas de roupa, bicicletas e até mesmo geladeiras. No caso de algumas mercadorias, o embarque era realizado pela porta dianteira, pois a traseira, como ocorre nos ônibus comuns, tinha uma roleta.




O taiobão circulava das 5h50m às 21h35m, sua tarifa custava CrS 50, preço igual ao das outras linhas que faziam o mesmo trajeto. Os bancos eram paralelos às laterais do ônibus, aumentando o espaço do corredor. O cobrador ficava no fundo do veículo e sobre a caixa do dinheiro havia uma espécie de esteira, que facilita a passagem dos volumes. A porta de entrada media 91 centímetros de largura, 11 a mais que a dos ônibus comuns. Segundo o gerente de tráfego da Auto Viação Bangu na época, Natan Pereira, a adaptação custou CrS 1,5 milhão. 


O cobrador Gehu Itamar da Silva Araújo, reclamou da localização de sua cadeira e da roleta. Gehu disse que certamente se machucaria, se outro veículo batesse na traseira do ônibus e acrescentou: "Dá para explicar por que colocam uma roleta estreita em um ônibus de carga ?" Como só há um ônibus desse tipo circulando, a espera é grande: as saídas têm intervalos de três horas.





De acordo como superintendente da SMTU, os fabricantes de ônibus estavam fazendo estudos para chegar ao melhor projeto do taiobão. 


Após 20 dias de operação na 790, duas novas linhas foram criadas:

932 Vila Cruzeiro x Hospital Universitário
370 Padre Miguel x Estácio
Cada linha recebeu dois taiobões.


Linhas que receberam o serviço:

370 Padre Miguel x Estácio (Transportes Campo Grande)
701 Madureira x Alvorada (Viação Redentor)
739 Capelinha x Bangu (Auto Viação Bangu)
741 Barata x Bangu via Murundu (Auto Viação Bangu)
749 Cascadura x Recreio (Transporte Oriental)
790 Cascadura x Campo Grande (Auto Viação Bangu)
794 Cascadura x Bangu (Auto Viação Bangu)
812 Bangu x Guandu (Transporte Oriental)
817 Campo Grande x Fazenda Botafogo (Transporte Oriental)
833 Campo Grande x Conjunto Manguariba (Viação Santa Sofia)
847 Campo Grande x Rio da Prata (Viação Santa Sofia)
848 Campo Grande x Bairro Arnaldo Eugênio (Viação Santa Sofia)
850 Campo Grande x Mendanha (Auto Viação Jabour)
852 Campo Grande x Pedra de Guaratiba (Auto Viação Jabour)
860 Santa Cruz x Pedra de Guaratiba (Viação Santa Sofia)
861 Reta do Rio Grande x Curral Falso (Viação Santa Sofia)
862 Reta do Rio Grande x Urucânia (Viação Santa Sofia)
863 Santa Cruz x Conjunto Cesarão (Viação Santa Sofia)
869 Campo Grande x Ilha de Guaratiba (Auto Viação Jabour)
885 Santa Cruz x Conjunto Cesarão (Viação Santa Sofia)
886 São Fernando x Jesuítas via Avenida João XXIII (Viação Santa Sofia)
890 Avenida João XXIII x Rua Senador Camará (Viação Santa Sofia)
892 Santa Cruz x São Benedito (Viação Santa Sofia)
898 Pedra de Guaratiba x Barra de Guaratiba (Auto Viação Jabour)
923 Bangu x Parada de Lucas (Transportes Campo Grande)

932 Vila Cruzeiro x Hospital Universitário (Transportes Campo Grande)


Fonte:

O Globo
Jornal do Brasil
UAI
Fortalbus
Folha UOL
Rio que Mora no Mar
Tags : , , ,

Um comentário:

[2][iconeI][style-1][LEIA TAMBÉM][As mais lidas até o momento]

Somos movidos pelo interesse de explorar os meios, modos e regras que integram o sistema de mobilidade urbana no Estado do Rio de Janeiro. O avanço tecnológico tem trazido mais dinamismo nas cidades, fazendo com que a população evolua e acompanhe esse avanço.

Buscamos obter informações, matérias, históricos e projetos de mobilidade e transformação urbana, assim como a realização de visitas técnicas em empresas, concessionárias e instituições relacionadas à Mobilidade Urbana do RJ, cuja perspectiva é abordar temas mais diversos e estar inteirado no que há de vir nos serviços de transportes.


Mobilidade nas Ruas: Distrito de Santo Aleixo (Magé)

O Distrito de Santo Aleixo localiza-se no extremo norte do município de Magé, junto às divisas de Petrópolis e Guapimirim; distanciando-se n...

NOSSOS PARCEIROS