Mobilidade em Nilópolis - A Vila Ema da Fazenda de São Matheus

| 3 Comentários
A atual cidade de Nilópolis fazia parte da Capitania de São Vicente até 1914, quando foi denominada “Vila Ema”.

Cancelas e passagem de nível de Olinda - Foto: Reprodução da internet

Depois a Vila virou parada de trens, passou a se chamar Engenheiro Neiva e depois passou a distrito homenageando o seu benfeitor, o presidente Nilo Peçanha. De distrito a cidade, foram mais de vinte anos de espera. E enquanto isso, o distrito prosperava.

Eram criadas linhas de ônibus ligando Nilópolis aos bairros meritienses de Tomazinho e São Matheus. As linhas eram operadas pela Viação Irene, de propriedade do Sr. Lúcio Tavares.

Um posto telefônico foi instalado na cidade, Empreendimentos culturais e educacionais surgiam e o distrito cada vez mais ansiava pelo desejo de se emancipar.



A Emancipação

Por iniciativa de uma emenda do deputado Lucas de Andrade Figueira – que se tornou a Lei Estadual nº 67, de 21 de agosto de 1947 – o distrito de Nilópolis passou a ser mais uma cidade do estado do Rio de Janeiro, sendo o menor município do estado e um dos menores municípios do país.


Estação Ferroviária de Nilópolis

Um município pequeno em território, mas grande em receptividade e alegria. Fato que podemos comprovar com a G.R.E.S Beija-Flor de Nilópolis, escola fundada no ano de 1948 e que leva o nome da cidade a todo o Brasil e enobrece a jovem e dinâmica cidade que começou seus passos de forma simples e hoje pode ser considerada um dos mais importantes municípios da região metropolitana.


Transporte por ônibus no município


Viação Nossa Senhora da Penha

A Viação Nossa Senhora da Penha foi fundada em 1966 por Jacob Barata, é uma das empresas do Grupo Guanabara, um dos maiores conglomerados de empresas de transporte de passageiros do Brasil, fundado em 1968 também pelo empresário Jacob Barata na cidade do Rio de Janeiro.


Viação Nossa Senhora da Penha


Viação Nossa Senhora da Penha
Sua garagem está situada no bairro Presidente Juscelino em Mesquita. A Mesma opera linhas intermunicipais que saem de Nova Iguaçu para os bairros de Bangu, Cascadura, Madureira, Méier, Penha, Praça Seca, Ricardo de Albuquerque à Nilópolis e Nova Iguaçu e Belford Roo à Deodoro.
Após intervenção da Turismo Transmil, recebeu outras duas linhas que atendem ao município: As linhas 133B e 479I ligando a cidade de Noa Iguaçu à Central e à Parada de Lucas respectivamente.


Transturismo Rio Minho

A Niteroiense Transturismo Rio Minho foi 
fundada em 13 de março de 1961, pelos portugueses Antônio Henrique Teles Botelho e Joaquim Augusto Ferreira com o nome de “Transportes Rio Minho LTDA”, como homenagem a um belo rio português, o Rio Minho. 

Transturismo Rio Minho
Posteriormente a empresa seria comprada por Celino Nunes de Oliveira e José Fraga de Abreu, quando houve então a mudança do nome para Transturismo Rio Minho LTDA
Em 23 de Maio de 1994 o Grupo Rio Ita adquire do grupo Constantino de Oliveira a Transturismo Rio Minho, marca que permanece até os dias atuais. 


Transturismo Rio Minho
A principal unidade de negócios está localizada em Niterói e, onde os deslocamentos desenvolvem-se tanto neste município como em Duque de Caxias, Mesquita, Nilópolis, Nova Iguaçu, onde atualmente possui uma garagem de apoio no bairro Caonze.
A Transturismo Rio Minho possui as linhas 143C e 1940D saindo de Niterói a Nova Iguaçu e que passa por aqui. Atualmente a empresa possui uma garagem de apoio em Nova Iguaçu.



Viação Ponte Coberta


Fundada em 4 de dezembro de 1970, a Viação Ponte Coberta teve a sua primeira sede estava localizada no município de Itaguaí. Sua garagem era localizada na Praça Castilho, atualmente município de Seropédica. 

Viação ponte Coberta

A Ponte Coberta opera atualmente nas linhas intermunicipais da Baixada Fluminense atendendo aos municípios de Nilópolis, Mesquita, Nova Iguaçu, Seropédica e Rio de Janeiro.
Em Nilópolis é responsável pela operação de duas linhas que partem do Terminal Rodoviário de Nilópolis. Suas linhas ligam Nilópolis à Campo Grande e à Seropédica passando pela Estrada do Madureira (Avenida Abílio Augusto Távora).

544P Nilópolis X Seropédica
548P Nilópolis X Campo Grande
745P Nilópolis X Praça Castilho
A linha 745P foi etinta na década de 90.

517I Nova Iguaçu X Praça Castilho
547P Edson Passos X Sepetiba
704P Lagoinha X Campo Grande

705P Edson Passos X Bangu
742P Cabuçu X Campo Grande
743P Jardim Paraíso X Campo Grande
746P Parque São Francisco de Paula x Campo Grande


Viação Ponte Coberta

Em agosto de 2017 após uma intervenção do Detro na Viação Costeira,  a Viação Ponte Coberta recebeu mais quatro linhas na sua área de atuação.

450T Nova Iguaçu x Itacuruçá via BR-101
452T Caxias x Muriqui via Nova Iguaçu
456T Caxias x Itacuruçá via Nova Iguaçu
456I Caxias x Km 32 via Nova Iguaçu

Essas linhas que fazem rota pela Estrada do Madureira vinham sendo operadas pela Viação Costeira. Suas linhas para Cabuçu, Mangaratiba, Itacuruçá, Muriqui, Km 32 e Itaguaí, pertenciam à sua fundadora Expresso Mangaratiba que para organização interna do grupo trocaram linhas entre si. Linhas que também pertenciam à Expresso.



Empresa de Transportes Flores

A Empresa de Transportes Flores  teve sua origem no município de Nilópolis, sua garagem era na Rua João de Castro, no bairro Cabuís. Fundada em 1957, por Luiz de Andrade Flores e Mauro de Almeida Flores, começou sua operação fazendo a linha São João – Caxias (via Matadouro), em novembro de 1959.


Empresa de Transportes Flores

Dois anos após a fundação, a garagem foi transferida para o município de São João de Meriti, na Rua Walter Arruda, o que ajudou a alavancar o crescimento da cidade. No início dos anos 1970, a empresa contava com 10 ônibus, operando uma linha. Entre 1971 e 1972, foi adquirida a linha 109 (São João de Meriti – Caxias) e a frota chegou a 36 veículos, operando linhas entre São João de Meriti e Duque de Caxias.

Em 1975, José Alves Lavouras assume a empresa, junto com o irmão Armando Lavouras. A partir de então novas linhas e empresas foram sendo adquiridas e integrando o que mais tarde passou a se chamar Grupo JAL. 
> Em junho de 1978, foi incorporada ao Grupo JAL a Transportes Planalto.
> Em 1979, foi a vez da Auto Lotação Unidos. Com elas, vieram, naturalmente, as linhas que operavam. No caso da Lotação Unidos, o interesse era mais no terreno onde ficava a garagem, pois ali José Lavouras construiria a nova sede da Flores e iniciaria a escalada para transformar a Flores numa das maiores empresas de transporte urbano do Estado do Rio de Janeiro.

Em 1984, se junta ao Grupo JAL a empresa Rio D’Ouro e, em 1986, são adquiridas as empresas Auto Viação Vera Cruz, Transquinze Transportes e Transportes Sol. Com isto, novas linhas foram incorporadas. Também em 86, os ônibus ganham outra vez nova pintura, em diversos tons de verde. No final dos anos 80 é adquirida a seropedicense Expresso Real Rio.


Empresa de Transportes Flores

As linhas da Flores em Nilópolis eram operadas pela Aparecida.

A sua atuação em Nilópolis, apesar de ter sido fundada no município, só foi possível após a aquisição de linhas operadas pela empresa Transportes Nossa Senhora Aparecida.

As atuais 103I (Nilópolis x Shopping Grande Rio), 104I (Nilópolis x Pavuna) e 433I (Nilópolis x Pavuna) passaram a ser operadas pela Flores no ano de 1990 e com isso a empresa que teve sua origem no bairro Cabuís voltou a se fazer presente em Nilópolis, atendendo aos bairros de Olinda, Nova Cidade, Paiol e Cabuís, além do Centro, de onde partem suas linhas.


Empresa de Transportes Flores

Com a intervenção do DETRO-RJ na Expresso Mangaratiba e posteriormente da Viação Costeira, a Empresa de Transportes Flores recebeu novas linhas que atendem aos nilopolitanos:

451T Duque de Caxias x Campo Grande via Éden
118T Duque de Caxias x Mangaratiba Via Nova Iguaçu
453T Duque de Caxias x Cabuçu via Nova Iguaçu
120T Duque de Caxias x Itaguaí via Nova Iguaçu



Transportes Blanco

Fundada em 2008 no município de Belford Roxo, A Transportes Blanco substituiu a antiga Expresso São Jorge que operava nos municípios de Nova Iguaçu e Belford.
Em 2012 assumiu o setor de Paracambi da Viação Normandy e no ano seguinte entra em operação em Queimados nas linhas da Trans1000.


Transportes Blanco

Com a aquisição das linhas, a Transportes Blanco assumiu a garagem da Normandy em Paracambi e a garagem da Turismo Transmil em Queimados, mantendo dois setores de operação concentrados por garagem.


Transportes Blanco

A Transportes Blanco opera a linha 124B de Nilópolis para o centro do Rio, esta linha também era operada pela Turismo Trans1000.


Empresa Santa Terezinha

A Santa Terezinha, por sua vez, opera linhas de Vilar dos Teles/Coelho da Rocha e São João (via Pavuna) para a cidade.

Fundada em 16 de setembro de 1966,a Santa Terezinha tem sede no bairro Tomazinho em São João de Meriti. Seu nome vem da devoção que seu fundador tinha à Santa Terezinha.

Empresa Santa Terezinha
Inicialmente operava apenas linhas ligando Nilópolis à Pavuna, nos anos 70 e 80 adquiriu novas linhas e trocou outras com a Viação Aparecida.
Empresa Santa Terezinha

Intermunicipais:
106I Pavuna x Nilópolis via Éden / Mercado Cristal

107I São João x Nilópolis via Nova Cidade
437I Coelho da Rocha x Nilópolis via Nova Cidade


Municipais em São João de Meriti
800 São João de Meriti x Vilar dos Teles via Tribunal de Trabalho
801 São João de Meriti x Éden via Caixa d'Água
802 São João de Meriti x Éden via Rua Jorge Nanhay
803 Vila Norma x Coelho da Rocha
805 São João de Meriti x Vila Humaitá

Empresa Santa Terezinha
A linha 437I, que liga Nilópolis a Coelho da Rocha se sobrepõe a outras que ligam Coelho da Rocha e Vila Norma a São João e ainda faz frente com os trajetos feitos pela Transportes Flores que passam por Coelho da Rocha e Vilar dos Teles. O diferencial da 437I é o fato de que esta é uma das únicas linhas intermunicipais que passam pelo bairro Nova Cidade, no município de Nilópolis.


Auto Viação Vera Cruz

Data de 1959 o surgimento da Vera Cruz, então com sede a Rua Valério Vilas Boas, em São João de Meriti, sob a direção dos irmãos Thurler de Mendonça, vindos de Natividade no Noroeste do Estado para entrarem no sistema de transporte por ônibus em nossa região, primeiramente com a Empresa de Transportes Municipal Ltda.


Auto Viação Vera Cruz

A empresa foi inaugurada em seu primeiro terminal, ao lado da estação ferroviária, no centro de São João de Meriti, cujos trens seguiam em direção ao distrito de São Mateus. Seus ônibus tinham a pintura dividida horizontalmente entre o vermelho e o creme.

Nos primórdios fazia a linha São João – BNH, passando pelo centro de Belford Roxo. Com a aquisição de uma linha com apenas dois veículos de Belford Roxo para Shangri-lá surgiu a possibilidade de traçar estratégia para prolongamentos e conexões de linhas, criando a necessidade de transferir a garagem para o Farrula, ainda com os donos primitivos.

Auto Viação Vera Crz
A Vera Cruz dispõe de várias linhas, interligando vários municípios da Baixada Fluminense (Belford Roxo, Nova Iguaçu, São João de Meriti, Mesquita e Nilópolis) e com extensão ao Rio de Janeiro, através de uma frota que está inserida entre as maiores da área em que atua.
Em 2014, passou a operar linhas que pertenciam à Turismo Transmil, ligando Mesquita ao Centro do Rio passando por Nilópolis e em 2016 adquiriu linhas que pertenciam à Viação Caravele, que ligam Belford Roxo ao Centro do Rio.



Auto Viação Vera Cruz

As linhas que atendem à Nilópolis são:

478B Mesquita x Central (via Chatuba)
651B Mesquita x Central (via Via Light)
707I Miguel Couto x Olinda
A linha 707I é oriunda da Transportadora São Jorge, que explorava como Heliópolis x Olinda. A transportadora São Jorge, que não tem nada a ver com a Expresso São Jorge, foi vendida para a Rio Lisboa, essa última foi incorporada pela Auto Viação Vera Cruz.

Sob administração da A.V. Vera Cruz, a linha 707I teve seu itinerário alterado por duas vezes:

Grama x Olinda
Miguel Couto x Olinda


Seu ponto em Olinda também sofreu alteração por diversas vezes:

Seu ponto de origem, era na Praça Manuel Joaquim Casimiro;

Em março de 2016 com a publicação do decreto N° 4.077, a Rua Pedro Roque junto a Praça teve seu sentido alterado, fazendo com que a linha migrasse para outro ponto. Inicialmente passou a fazer ponto em Anchieta no último ponto da AV. Marechal Alencastro;


Não muito tempo depois, o ponto foi transferido para a Rua João Rodrigues da Cunha e posteriormente a empresa o colocou em um recuo na Avenida Getúlio de Moura junto à Estação Ferroviária de Olinda. A estratégia da empresa era manter em um único ponto o inicial da 707I e de fiscalização da linha 478B. Essa mudança causou transtorno na mobilidade local e foi repudiada pelos usuários que dependem de outras linhas que ficaram sem o espaço livre, parando no meio da rua e dificultando o embarque/desembarque no local.

No dia 01 de agosto de 2017, o decreto N° 4.077 foi revogado e a linha 707I volto a parar na Praça Joaquim Manoel Casemiro.



Transporte e Turismo Alto Minho

Fundada em 1973 a Transporte e Turismo Alto Minho tem sede em Nova Iguaçu. Atualmente é concessionária nos municípios de Nova Iguaçu,Belford Roxo e Mesquita.
Transporte e Turismo Alto Minho

Com garagem localizada na Av. Getúlio de Moura,nº 674 no Centro de Nova Iguaçu Estado do RJ,


A Transportes e Turismo Alto Minho possui 7 linhas intermunicipais.

600I Nova Iguaçu x Belford Roxo via BNH
601I Nova Iguaçu x Belford Roxo via Antônio José Bittencourt
661I Nova Iguaçu x Vila Emil via Santo Elias
662I Nova Iguaçu x Vila Norma
663I Nova Iguaçu x Jacutinga
Dessas apenas a 601I atende a Cidade de Nilópolis.





Costa Verde Transportes

A Costa Verde Transportes é uma das principais empresas da Costa Verde Fluminense. A empresa foi fundada em 7 de agosto de 1997, assumindo as linhas rodoviárias da EVAL.


Costa Verde Transportes
Com tradição em transporte rodoviário, tornou-se sinônimo de conforto e credibilidade. A empresa opera diversas linhas entre as cidades do Rio de Janeiro, Angra dos Reis, Niterói, Itaguaí, Parati, Nova Iguaçu e Queimados

A linha 1951B - Angra dos Reis x Nova Iguaçu é a linha que corta a cidade passando pela Avenida Getúlio de Moura e Estrada Getúlio Vargas.


Master Transportes Coletivos de Passageiros

A Master foi fundada em 1975, no município de São João de Meriti  por Antônio Casimiro Ricardo da Rocha, Hilda Maria Ricardo da Rocha e Isidro Ricardo da Rocha.
Com sede em São João de Meriti, realiza transporte público de passageiros entre os municípios de São João de Meriti, Duque de Caxias, Rio de Janeiro, Belford Roxo, Nova Iguaçu, Mesquita e Nilópolis.


Master Transportes Coletivos de Passageiros

A empresa forma o Grupo Master junto com as empresas Viação Cascatinha e Petro Ita Transportes Coletivos ambas de Petrópolis.
A Salutran - Serviço Auto Transportes com sede em Nova Iguaçu também já pertenceu ao grupo, onde teve a sua extinção decretada. O Grupo não tem uma área de atuação concentrada, já que cada empresa opera em uma determinada região .A Sede do grupo fica em São João de Meriti administrado pela Master.

A empresa opera as linhas:

131I Caxias x Nova Iguaçu (via Light)
134I Caxias x Nova Iguaçu (via São João de Meriti)
135I Caxias x São João de Meriti
137I Caxias x Nova Iguaçu (Direto)
138I Caxias x Nilópolis
138I Caxias x Pavuna
140I  Nova Iguaçu x Pavuna
521B Coelho da Rocha x Central


Master Transporte Coletivo de Passageiros

Em 2013 o DETRO-RJ determinou que a Master Transportes operasse duas linhas que ligam Nilópolis ao Centro do Rio após intervenção na Turismo Transmil.

152B Nilópolis x Central via Via Light
120B Nilópolis x Central via Banco de Areia


Auto Viação 1001

A Auto Viação 1001 foi criada em 1968 por Jelson da Costa Antunes. Atualmente faz parte do grupo JCA, que é integrado pelas principais viações do país e transporta, de ônibus, mais de 100 milhões de pessoas por ano.
Auto Viação 1001

Além de ser extremamente conhecida, não só no mercado, mas como referência de transporte pela população, a Auto Viação 1001 é um importante elemento para o setor de transportes rodoviários nos estados Rio de Janeiro, São Paulo, Espírito Santo, Minas Gerais, Paraná e Santa Catarina - em especial do eixo RJ-SP.


Mesmo oferecendo destinos para diversos estados, sua atuação é mais intensiva no estado do Rio de Janeiro, oferecendo passagens de ônibus para rotas nas regiões Metropolitana, Baixadas Litorâneas, Norte, Noroeste e Serrana Fluminenses.
Em Nilópolis a empresa têm saídas do Terminal Rodoviário em horários específicos.

Auto Viação 1001 - Terminal Rodoviário de Nilópolis
MB23 Macaé x Nova Iguaçu
MB28 Nova Iguaçu x Cabo Frio (via Duque de Caxias)
08-0005-02 São Paulo x Rio de Janeiro via Duque de Caxias
Macaé x Nova Iguaçu (via Verão Vermelho)



Viação São José Ltda

Sua origem é de 1936 quando durante algum tempo operou com razões sociais de seus proprietários Oscar Soares (fundador) e José Soares, com o antigo prefixo DTR 75 c
om garagem na Estrada Dr. Plínio Casado.
Inicialmente operava a linha Nova Iguaçu x São João do Meriti. A influência e a participação social, foram tão fortes, que a rua em frente a garagem tornou-se, Av. Oscar Soares.


Viação São José
A origem do nome é desconhecida, mas prevê-se que devido ao José Soares, ser filho do Oscar, ela seja a fervorosidade católica natural da raça portuguesa, em homenagem ao seu santo preferido. Na década de 70, alterou sua razão social para “Viação São José Ltda.” e operou além da linha tradicional, as linhas:
Nova Iguaçu x Cobrex
Nova Iguaçu x Ponto Chic
Nova Iguaçu x Bel Ford Roxo -na época distrito de Nova Iguaçu

Quando houve a fusão dos antigos estados da Guanabara e do Rio de Janeiro, o DTR foi substituído pelo DETRO e todas as empresas com ônibus em linhas intermunicipais, adotaram um prefixo específico, com a letras RJ na frente dos dígitos. Dessa forma a São José, recebeu o prefixo RJ 200.000, para a linha intermunicipal e manteve o prefixo NIG 01-xx, para o município.
Viação São José
Atualmente opera linhas municipais e intermunicipais ligando Nova Iguaçu ao municípios de Belford Roxo e Rio de Janeiro, atendendo também aos municípios de Mesquita, São João de Meriti e Nilópolis, onde passa com  sua linha 541I - Nova Iguaçu x Pavuna via Via Light.


Viação Vila Rica

A Viação Vila Rica fundada em 10 de outubro de 1974 atua nos municípios de Nova Iguaçu, uma parte de Queimados, São João de Meriti, Mesquita e Rio de Janeiro. Discretamente atende à população Nilopolitana através da sua única linha que passa pela Via Light.

749L - Morro Agudo x Pavuna via Via Light.

A empresa também operava na Via Light a linha 786L Morro Agudo Anchieta, atualmente extinta.
Viação Vila Rica
A empresa é integrante do Grupo MVR (Mirante/Vila Rica) que apera linhas municipais em Mesquita e Nova Iguaçu, além de uma linha intermunicipal. A Viação Vila Rica opera outras linhas ligando Nova Iguaçu à Pavuna e à mesquita.


Empresas com sede no município

Nilopolitana Fênix

Uma das mais tradicionais empresas da cidade, a empresa de transportes Nilopolitana completa em 2017, 60 anos de fundação e em Nilópolis opera três linhas municipais e um serviço especial, que ligam o Centro do município aos bairros Nossa Senhora de Fátima, Cabral e Manoel Reis, passando ainda pelo bairro de Olinda.
Cavalcanti Cia

Vamos conhecer as linhas

001 Mirandela x Cabral

Apesar do nome da linha fazer referência a uma das principais vias do município, o seu ponto final fica no bairro Nossa Senhora de Fátima, mais precisamente, na esquina entre as ruas Marechal Castelo Branco e Marques Canário. Seu itinerário original (Mirandela x Centro) fez com que a linha fosse batizada apenas com o nome da Avenida Mirandela, já que era por ela que o percurso era feito em toda a sua extensão.  


Cavalcanti Cia

Com o passar dos anos, mudanças foram feitas no itinerário. A linha que começou fazendo a ligação entre os extremos da Avenida Mirandela, antes de chegar ao bairro Cabral, sofreu o seu primeiro "esticamento" na década de 90, onde outras linhas municipais foram modificadas ou criadas pela Prefeitura local. 
Os ônibus passariam a ir até o bairro de Olinda, onde seguiam pela Rua Getúlio Vargas até a Praça Joaquim Casemiro e retornavam pela Rua Getúlio de Moura, onde faziam ponto final no Terminal Rodoviário de Nilópolis. Dali o itinerário era o mesmo até o bairro Nossa Senhora de Fátima.

Nesta mesma década, uma outra alteração levou o "Mirandela" até o bairro Cabral, ganhando o itinerário que conhecemos hoje.

A Nilopolitana opera ainda o serviço especial Cabral x Rodoviária, que só funciona de segunda à sexta, das 6h às 7h.



001R Mirandela x Rodoviária

Essa linha faz o mesmo itinerário da então Mirandela x Centro. Roda como apoio à linha Mirandela x Cabral. Apesar de constar no letreiro dos ônibus, a linha não faz ponto final dentro do Terminal Rodoviário de Nilópolis, apenas passa em frente, sendo circular no Centro.



002 Manoel Reis x Rodoviária

É outra linha que tem ponto final em bairro diferente ao que consta no nome. Seu ponto final fica na esquina entre as ruas Alberto Teixeira da Cunha e Antônio Félix, no bairro Nossa Senhora de Fátima. Assim como a "Mirandela", essa linha adotou o nome da Rua Manoel Reis, por onde trafega boa parte do itinerário, batizando assim a linha. O nome do bairro só surgiu recentemente, na década de 2000, quando houve reformulação no zoneamento urbano de Nilópolis. 


Cavalcanti Cia

Apesar de constar no letreiro dos ônibus, a linha não faz ponto final dentro do Terminal Rodoviário de Nilópolis, apenas passa em frente, sendo circular no Centro.

Esta linha também chegou a ser atingida pelas modificações da década de 90. O seu itinerário chegou a ser "esticado" até a Rua Vicente Celestino, na divisa com o então município de Nova Iguaçu. Naquela época, os ônibus saiam do Terminal Rodoviário de Nilópolis seguiam pela Rua Getúlio de Moura, fazendo retorno antes da ponte sobre o Rio Sarapuí, de onde seguiam pela Rua Getúlio Vargas, até retornar ao seu percurso atual.


Como se pode observar, atualmente todas linhas são circulares no Centro do município, mas na origem de todas, havia um ponto final na região central de Nilópolis. Antes da construção do Terminal Rodoviário de Nilópolis, que data da década de 70, os ônibus da Empresa Nilopolitana de Transportes, faziam ponto final na Avenida Mirandela, que ainda não tinha o Calçadão. 

Voltando a história da empresa, ela foi fundada em 1957 ostentando o nome Nilopolitana. Em 08 de janeiro de 1958, a empresa é assumida pelos empresários Luiz Rodrigues Cavalcanti Filho, Abel Magalhães Castelo e Waldemir Antonio Pereira, que mudaram sua razão social para Cavalcanti & Cia, mantendo Nilopolitana como nome fantasia. 


Cavalcanti Cia

Mais tarde, a empresa passou a ser dirigida pelos irmãos Gilberto, Luiz Augusto e Antônio Cavalcanti, filhos de Luiz Rodrigues.


Pior momento da empresa

Em 1985, o então governador do Rio de Janeiro, Leonel Brizola, encampou 16 empresas de ônibus que atuavam na capital e na Região Metropolitana, dentre elas estava a Nilopolitana. De acordo com o Decreto n° 8.711, o Estado assumiu o controle da empresa.


Cavalcanti Cia
No processo, através da extinta Companhia de Transportes Coletivos do Rio (CTC-RJ), a Nilopolitana recebeu a inscrição “Empresa Administrada pelo Governo” e seus ônibus tinham uma pintura branca com faixas azul e vermelha. A medida, no entanto, acabou resultando na depreciação e falta de manutenção de frota, ocasionando a devolução da Nilopolitana à iniciativa privada três anos depois.

O período conhecido como Encampação foi o momento considerado um dos mais difíceis enfrentados pelo setor rodoviário, que presenciou, durante todo o processo judiciário, a regressão da prestação de serviço de transporte de passageiro por ônibus devido à administração pouco eficiente e à falta de manutenção da frota.


Cavalcanti Cia

Foi nessa época que a Nilopolitana enfrentou o pior momento de sua história. Até 1985, a empresa possuía 120 ônibus e três anos após, apenas sete veículos estavam em condições de operação. Foram necessários quase dois anos para deixar a empresa em condições de operação novamente. Portanto, pode-se dizer também que tudo começou, ou recomeçou, em 1988.


A Santa que ajudou no recomeço

No final da década de 90, aos poucos a Nilopolitana assumia novamente a sua personalidade visual, inclusive usando veículos da Viação Santa Teresa Transporte e Turismo, adsorvida pela Nilopolitana ainda na década de 80 e que não havia sido atingida pela "encampação".


Viação Santa Teresa

Apesar de operar linhas municipais, ligando os distritos de Austin e adjacências, no município de Nova Iguaçu, a Santa Teresa tinha sede em Nilópolis. 


Viação Santa Teresa

A Viação Santa Teresa operava as linhas:

Vila Zenith x Tinguazinho
Vila Zenith x Circular
Vilar Grande x Circular
Austin - Três Fontes
Austin X Vila Maricá (Vila Guimarães)


A Gata


Alguns anos depois, a Nilopolitana absorveria as linhas e a garagem da Santa Tereza, que também pertencia à Gata Transportes e Turismo, fundada em 23 de abril de 1987. Ambas ocupavam um pequeno terreno na Rua Eliseu Alvarenga, 1240, no Centro Nilopolis.


Gata Transportes e Turismo

Segundo informações, a Gata Turismo seria um braço da Nilopolitana destinado ao serviço de fretamento, porém, não houve sucesso e a empresa foi extinta. 



Novos ares

Com a extinção da Santa Teresa a Nilopolitana lança um novo layout para os ônibus, e inova trazendo para sua frota modelos de ônibus mais modernos, como os Padron Cidade e GlS Bus. Fabricados pela encarroçadora Ciferal, estes veículos iniciaram suas atividades nas linhas intermunicipais da empresa. 


Cavalcanti Cia

A nova logomarca da Nilopolitana gerou tanto destaque na Baixada Fluminense que recebeu premiação no ano de 2000. Mas a frota ainda precisava de mais atenção, principalmente nas linhas municipais de Nilópolis. Um novo serviço foi testado, era o Serviço A.

Com veículos dotados de vidros escurecidos, bagageiro e sistema de sonorização ambiente, a empresa tentou oferecer mais conforto aos passageiros porém, a ideia não foi bem recebida pelos usuários, que reclamaram da ausência da porta de desembarque, já que apenas uma porta era usada para embarcar e desembarcar. 


Cavalcanti Cia

Atenta aos clamores populares, a empresa desativou o Serviço A e voltou a operar as linhas municipais com ônibus urbanos de duas portas. Os usuários agradeceram. Vale lembrar, que a Expresso São Francisco também havia adotado o mesmo tipo de serviço em alguns veículos, que também foram modificados logo após as reclamações.

Enquanto isso, ainda nos anos 2000, a empresa adquire a sua primeira unidade de ônibus equipada com ar condicionado. O modelo era um Svelto, fabricado pela encarroçadora gaúcha Comil. O veículo adquirido como teste foi mais usado na linha 717L (Nova Iguaçu x Sulacap).


Cavalcanti Cia

A empresa também adquiriu os micros Comil Piá com ar condicionado, esses circularam nas linhas Caxias x Nilópolis e Nova Iguaçu x Sulacap.


Fênix Transportes

A Fênix operava linhas municipais internas da Fazenda de São Mateus que na época era o 4° distrito de Nova Iguaçu - Atualmente esse território chama-se Nilópolis.


Fênix Transportes
No final dos anos 50, a Fênix foi incorporada à Cavalcanti Cia. Com isso, suas linhas passaram a ser operadas pela recém criada, com o nome fantasia Nilopolitana Fênix (escrito apenas "Nilopolitana" nos layouts de seus coletivos).


Cavalcanti Cia

As linhas então municipais do 4° Distrito, passaram a ser municipais de Nilópolis.


Ar refrigerado nas linhas municipais


Investindo na sua frota, a empresa foi a primeira a adotar veículos equipados com ar condicionado nas linhas municipais de Nilópolis. O modelo era um microônibus Piá, da Comil. Inicialmente dotado de apenas uma porta, os veículos aos poucos foram sendo modificados, recebendo mais uma porta. Provavelmente a empresa, quando fez a encomenda, pensava em manter o Serviço A. 


Cavalcanti Cia
Apesar de terem ar condicionado, o tamanho não era adequado para a demanda das linhas municipais de Nilópolis e as reclamações por causa dos veículos estarem lotados, começavam a incomodar e os micros foram substituídos por veículos urbanos, dotados de duas portas. Porém, sem ar condicionado. 

O resultado desses investimentos foi reconhecido pela revista Fetranspor, tornando a empresa referência em manutenção e conservação da frota, onde a qualidade do setor de manutenção destaca a empresa pra lista de empresas mais procuradas na revenda de ônibus. 
Após o reconhecimento da Fetranspor, a Nilopolitana lançou seu lema "Nilopolitana Transportando com Qualidade A" adesivado em seus veículos".

No fim o ano de 2002 surge nos transportes urbanos ônibus com embarque na dianteira. Onde antes da roleta contém 5 bancos, garantindo o direito a gratuidade a idosos, estudantes e Pessoas com Necessidades Especiais (direito assistido na constituição). 


Cavalcanti Cia

Por meio desta, a empresa começa a adquirir ônibus com o atual embarque na dianteira e desembarque no meio dos ônibus. Os veículos mais antigos da empresa, foram reformados e modernizados se adequando aos novos padrões de embarques do estado. 

Com o surgimento da integração de modais, suas linhas foram adesivadas com o serviço e algumas linhas foram alteradas para melhor atender à população:

716l Mariópolis x Austin via Riachão
Ganha uma variante e um trajeto parcial
Variante: Austin x Mariópolis via Rodilândia
Parcial: Austin X Nilópolis (Encerrando sua viagem na rodoviária de Nilópolis).

Na linha que liga o município de Nova Iguaçu x Sulacap, surge uma marco na história da empresa:
CONEXÃO: 717L Nova Iguaçu X Sulacap X Barra da Tijuca
Essa linha ganha tbm uma variante 
717L Nova Iguaçu X Sulacap via Alcobaça
717L Nova Iguaçu X Sulacap via Av. Nazaré 
Nessa conexão os clientes desembarcavam no ponto final em Sulacap e realizavam transbordo pra linha 754 da Transportes Barra, seguindo viagem pela Estr. do Catonho, Taquara até a Barra da Tijuca. 
Nessa época a linha circulava com os recentes micros com ar condicionado adquiridos pela Nilopolitana.


Cavalcanti Cia

Essa possibilidade voltou em 2016 com a inauguração da Via Expressa Transolímpica. Um corredor expresso operado por ônibus articulado fazendo a ligação entre a Vila Militar e o Recreio do Bandeirantes e do Jardim Sulacap ao Terminal Jardim Oceânico na Barra da Tijuca ambos na Zona Oeste da cidade do Rio de Janeiro.

Na época da inauguração, a Nilopolitana foi convidada a levar suas linhas para o Terminal da Sulacap, possibilitando uma melhor integração entre os modais e trazendo mais segurança e conforto aos usuários. Por sua vez a empresa preferiu transferir a sua linha para a Praça H no mesmo bairro.

Em 2004  por conta de um imbróglio com outra empresa local, a empresa teve que extinguir a linha 428L, então Mariópolis x Austin da Nilopolitana, alegando concorrência. Há tempos atrás a mesma empresa já havia criado conflito com as linhas 786L Morro Agudo x Anchieta da Vila Rica e 423L Mesquita x Realengo da Nilopolitana.

Linhas municipais de Nilópolis

Mirandela x Cabral
Manoel Reis x Rodoviária
Mirandela x Rodoviária
Cabral x Rodoviária.
Esta última opera apenas durante a manhã.

Atualmente as linhas são operadas como circulares na ligação Centro x Bairro. Apenas a Mirandela x Cabral não é circular. Os pontos finais ficam no Bairro Nossa Senhora de Fátima e no Cabral, as demais são circulares no Centro sim


Novas linhas

Mal tinha acabado de renovar por inteiro sua frota e a Nilopolitana recebeu a missão de substituir a Turismo Trans1000 em duas linhas intermunicipais. A empresa mesquitense havia sido impedida de operar as linhas 516 (Km 2,5 x Nilópolis) e 129 (Nilópolis x Central do Brasil). O Departamento de Transportes Rodoviários (DETRO), órgão do Governo do Estado do Rio de Janeiro, convocou a Nilopolitana e a mesma, desde 2013 passou a operar as linhas.


Cavalcanti Cia

A empresa já possuía linhas intermunicipais, todas elas atendendo à população nilopolitana:
428I Comendador Soares x Cabral
429I Duque de Caxias x Queimados
430I Nilópolis x Queimados
431L Praça Santinha x Deodoro via Nilópolis
433L Nova Iguaçu x Deodoro
434L Nova Iguaçu x Sulacap
719L Mesquita x Sulacap

A linha 428I inicialmente operava com o código 716L fazia o trajeto Mariópolis x Austin.
A linha 429I inicialmente operava o trajeto Duque de Caxias x Austin.
A linha 433L inicialmente operada com o código 717L fazia o trajeto Mesquita x Deodoro.
A linha 434L inicialmente operada com o código 718L fazia o trajeto Realengo x Nova Iguaçu. Seu ponto final era localizado na Praça da Capelinha (Atual Praça Padre João Cribbin).
A linha 719L Mesquita x Sulacap operava com o código 423L fazendo o trajeto Realengo x Mesquita. A mesma teve seu serviço interrompido por determinação do Detro por conta de um imbróglio com outra empresa local. Como alternativa, a empresa reativou a linha fazendo seu itinerário complementar ao serviço da linha 718L.

Após a retirada da linha 716L do território carioca (Mariópolis), a empresa fez diversas modificações em outras linhas para tentar cobrir o trajeto, considerando integrações e extensões. Como alternativa à extinção da linha 716L, a empresa criou linhas de integração para manter o serviço entre os dois pontos.

Praça da Santinha x Nilópolis (Integrada à C.Soares x Cabral)
N.Iguaçu x Austin (Integrada à C.Soares x Cabral)
Queimados x Austin (Integrada à Queimados x caxias, temporariamente)


Linhas municipais de Nova Iguaçu

Três anos após, a Nilopolitana passa a integrar o Consórcio Serra do Vulcão, após uma reestruturação feita pela Prefeitura de Nova Iguaçu. Além das linhas que já operava no município, a Nilopolitana assumiu as linhas das empresas Niturvia e Alto Minho. 
Em 2015 a empresa chegou a colocar número nas linhas para facilitar o usuário. Atualmente as linhas não apresentam mas a numeração.


227 - Nova Iguaçu x Austin via Riachão
228 - Nova Iguaçu x Austin via Dutra
229 - Nova Iguaçu x Com. Soares via Guadalajara
230 - Nova Iguaçu x Austin via Rodilândia
231 - Nova Iguaçu x Austin via Rodilândia e Estr. do Riachão
241 - Nova Iguaçu x Vila São Luiz via Morro da Cocada
242 - Nova Iguaçu x Morro da Cocada via Posto 13
835- Nova Iguaçu x INPS via Barros Junior
836 - Nova Iguaçu x INPS via Otávio Tarquínio

Antes de desse novo lote empresa já operava duas linhas.

502 - Nova Iguaçu - Austin via Riachão
513 - Nova Iguaçu - Austin via Rodilândia
A linha Nova Iguaçu x Austin via Rodilândia foi comprada da Salutran.

Em abril de 2017, mais uma linha entra para a grade da Nilopolitana. A empresa Cruzeiro do Sul sofre interveção do DETRO e a 420T (Barra da Tijuca x Nilópolis) também passa a ser operada pela Nilopolitana.


Cavalcanti Cia


Porém, por conta de uma decisão judicial, a amarelinha só consegue roda na linha por apenas um dia. A Cruzeiro do Sul havia entrado na Justiça e retornou as operações. O imbróglio só se resolveu em agosto, quando uma nova decisão beneficiou a Nilopolitana.





Expresso São Francisco

A Expresso São Francisco é a empresa que detém o maior número de linhas municipais em Nilópolis, além de ter linhas ligando o município à Nova Iguaçu e Mesquita e uma linha que foge a este eixo, é a 180I (Nova Iguaçu x Japeri).

Expresso São Francisco

O crescimento da Expresso São Francisco se deve a aquisição de linhas de tradicionais empresas de Nilópolis, como a Transportes Vilma – operava a linha Soares Neiva x Rodoviária -, Nossa Senhora da Conceição e Viação Irene. 


A empresa fundada no dia 6 de abril de 1967, pelo italiano Giuseppe Grosso presta diversas homenagens:
Seu nome homenageia São Francisco de Paula, devido à devoção de seu fundador. 
A pintura da frota da empresa homenageia a Itália através da utilização das cores da bandeira italiana. 
Ainda na pintura da sua frota, a empresa homenageia a escola de samba Beija-Flor de Nilópolis com a impressão da ave em seu layout.


O começo

Inicialmente, a frota era composta por apenas dois veículos que operavam na linha Soares Neiva - Centro, adquirida com a compra da Transportes Vilma. Em 1972, a empresa já contava com cinco ônibus, que além da linha inicial, operavam também na linha circular Maria Braga x Augusto Paris.



Expresso São Francisco

Com a compra da Viação Nilópolis sua frota e número de linhas cresceram. Em 1979 a empresa adquiriu trinta ônibus e algumas linhas da Viação Nossa Senhora da Conceição. Foi a entrada da Expresso São Francisco em território iguaçuano. As linhas municipais 

Fábrica de Pólvora x Nova Iguaçu, Nova Iguaçu x Delamare e Rua da Serra x Nova Iguaçu foram depois transformadas em intermunicipais, após a emancipação do então distrito de Mesquita, ocorrida em setembro de 1999.

Além das então linhas municipais, a São Francisco também adquiriu da Viação Nossa Senhora da Conceição, a linha intermunicipal 439I (Nilópolis x Mesquita). A São Francisco também chegou a operar a linha municipal de Mesquita Delamare x Edson Passos


Reestruturação

Visando se reestruturar, a São Francisco vendeu as linhas, com exceção da 439I, que havia adquirido da Viação Nossa Senhora da Conceição. O Grupo MVR, proprietária das empresas Mirante e Vila Rica passou a operar as linhas.

Expresso São Francisco

Uma curiosidade, é que a Expresso São Francisco, quando ainda era dona da 
Fábrica de Pólvora x Nova Iguaçu, transformada em linha intermunicipal após a emancipação de Mesquita, solicitou autorização junto ao Departamento de Transportes Rodoviários - DETRO, para ampliar a linha até o Hospital da Posse, alterando assim a denominação da linha para 461I - 
Fábrica de Pólvora x Hospital da Posse. Após a aquisição, o Grupo MVR voltou a operar a linha até o Centro de Nova Iguaçu.


Nova fase

O investimento da São Francisco na qualidade dos serviços e a atenção dedicada a cada detalhe da operação, impulsionaram o crescimento da empresa, de forma a atender à demanda de seus clientes.


Garagem - Expresso São Francisco

A sede atual da São Francisco é localizada no bairro Santos Dumont, em Nilópolis. É composta por dois espaços: a sede tem 15 mil metros quadrados e lá funciona uma estação de tratamento e reuso das águas da chuva e lavagens dos veículos, assim como uma estação de tratamento de esgoto. Já a segunda garagem, possui 4 mil metros quadrados e funciona em frente da sede. 


São Francisco na Barra da Tijuca...só que não

Em 1998 a empresa chegou a ganhar a concessão de uma linha ligando o município de Queimados à Barra da Tijuca, porém uma liminar e uma posterior perda no processo impediu a empresa de operar a referida linha.


Expresso São Francisco

Os ônibus adquiridos para operar a linha eram, até então os mais modernos adquiridos, eram os modelos Padron Cidade II, encarroçados pela Ciferal e possuíam piso taraflex e poltronas ergonômicas, além do sistema de sonorização ambiente. Com a derrota na Justiça, a empresa distribuiu os veículos nas linhas municipais Soares Neiva x Rodoviária (Nilópolis) e Delamare x Nova Iguaçu.

Expresso São Francisco

A empresa setoriza os carros em uma organização interna, com isso os carro dos setores intermunicipais de Nilópolis e Japeri são restritos à sua área de operação. 


Expresso São Francisco

Em uma tentativa de criar um setor de fretamento e turismo, a empresa adquiriu da empresa Rodoviária Âncora Matias duas unidades do modelo Nielson Diplomata, com chassi Scania. A empresa manteve o desenho de gaivota fazendo apenas alterações nas cores verde e azul. 

Quando a empresa operava linhas municipais de Nova Iguaçu ela possuía veículos exclusivos para cada município, inclusive com numeração específica. 

Atualmente a empresa opera as seguintes linhas municipais em Nilópolis:

01 Rodoviária x Soares Neiva
02 Cabral x Paiol
03 Pedro Alvares Cabral x Novo Horizonte 
04 Nova Cidade x Olinda 
05 Prefeitura x Nova Cidade 
06 Cabral x Maria Braga
07 Centro x Paiol
07B Centro x Alto Cabuis

Intermunicipais:

431I Nilópolis x Nova Iguaçu
439I Nilópolis x Mesquita
180I Nova Iguaçu x Japeri 


Unindo Nilópolis e Nova Iguaçu

Quando Mesquita era o quinto distrito de Nova Iguaçu, a Expresso São Francisco era uma das empresas que ligavam Nilópolis até aquele município. Com a emancipação de Mesquita, ocorrida em 1999, houve um corte nessa ligação. A linha 439I (Nilópolis x Mesquita) já não ia mais até Nova Iguaçu.


Expresso São Francisco

O restabelecimento dessa ligação veio alguns anos depois. No início dos anos 2000, a Expresso São Francisco solicitou ao DETRO a expansão da linha 439I até o município de Nova Iguaçu, porém o órgão só aceitou que a linha fosse até a divisa entre Mesquita e Nova Iguaçu, no bairro de Juscelino. Ainda não era dessa vez, que a São Francisco iria juntar nilopolitanos e iguaçuanos. 

A solução veio mais a frente, ainda na década de 2000, a São Francisco passa a operar a linha 431. Era uma linha nova e que ligaria, finalmente, Nilópolis à Nova Iguaçu. Ainda em fase de transição, alguns carros circulavam com a numeração 431, porém só iam até Juscelino. A solução foi voltar a rodar a linha 439I com seu trajeto original, ou seja Nilópolis x Mesquita e a 431 rodava como Nilópolis x Nova Iguaçu. 


Expresso São Francisco

No início, a 431 tinha poucos ônibus e aos poucos, a demanda foi aumentando e o processo se inverteu. Hoje a 439 tem no máximo dois ônibus e a 431 roda com seus ônibus sempre cheios. 

Com a criação da 431, a Expresso São Francisco consolidou o seu domínio no eixo Nilópolis x Chatuba x Mesquita, região hoje dividida com o Grupo MVR.


Linhas municipais sofreram mudanças

Na década de 90, a Prefeitura de Nilópolis resolveu promover alterações nas linhas municipais. Itinerários foram ampliados e outros criados. Confira abaixo as alterações:

Augusto Paris x Centro foi extinta;
Maria Braga x Centro foi expandida para o bairro Cabral;
Nova Cidade x Centro foi unificada com a Paiol x Centro (Via Olinda)
Torre da Light x Centro foi transformada em Pedro Álvares Cabral x Novo Horizonte.


Expresso São Francisco

A Expresso São Francisco também operou a linha Nova Iguaçu x Paracambi antes das empresas Normandy do Triângulo e Transportes Blanco.


Outras empresas que circularam em Nilópolis:

Viação Costeira


A Viação Costeira, foi fundada em 17 de outubro de 1996, com o objetivo de operar linhas no município de Mangaratiba, onde mantém sua sede na estrada São João Marcos, na Praia do Saco.


Viação Costeira
Operava, inicialmente, fazendo as ligações entre os distritos de Itacuruçá, Muriqui e Mangaratiba, abrangendo posteriormente o distrito de Conceição de Jacareí. Conquistou também serviços de fretamento, entre eles o atual transporte escolar do município. Hoje, opera também em serviços intermunicipais no estado do Rio de Janeiro.


Expresso Mangaratiba


Fundada em 21 de outubro de 1967, iniciou sua operação ligando o município de São João de Meriti a Mangaratiba via Nova Iguaçu com cinco veículos ampliando o percurso até Duque de Caxias onde mantém hoje a sua sede.



Expresso Mangaratiba

Atualmente com as atividades suspensas por determinação do DETRO-RJ, é concessionária do transporte público intermunicipal nos municípios de Mangaratiba, Nilópolis, Caxias, Mesquita, São João de Meriti, Nova Iguaçu, Itaguaí e Rio de Janeiro.


Transportes Mageli

Fundada em 29 de abril de 1971 a Transportes Mageli tinha sede na Rua Ana Brito da Silva (antiga Avenida Tenente Aviador Nilton Campos Soares), no bairro de Éden. A empresa formava grupo com a Viação Beira Mar e após a aquisição do Grupo JAL em 2008 passaram a integrar esse grupo e transferindo suas garagens para a sede da Empresa de Transportes Flores, empresa-mãe do Grupo JAL.


Mageli Transportes

Antes da aquisição do Grupo JAL, a empresa operava uma variante da linha 514B Éden x Central. A linha que saía do bairro Paiol em Nilópolis contava com apenas dois horários, um na parte da manhã e o outro à tarde.


Feital Transportes e Turismo



Feital Transportes e Turismo era sediada originalmente em Itaguaí, e concessionária pública da cidade do Rio de Janeiro. Foi fundada na década de 1980 com o nome de Feital Transportes e Turismo.



Feital Transportes e Turismo


Criada em 1986, como empresa de fretamento para funcionários na Ilha do Mocanguê, a então Feital, sediada em Itaguaí, começou a operar linhas urbanas na Baixada Fluminense em 1992. Logo depois, adquiriu suas primeiras concessões de ônibus na cidade do Rio de Janeiro no ano de 1997, quando foi primeira empresa de ônibus a estrear na cidade já com 100 veículos na frota.
Em 2005 o Detro-RJ cassou várias linhas intermunicipais da empresa.



Feital Transportes e Turismo


Dentre suas linhas intermunicipais, a empresa operava a linha 432L Nilópolis x Realengo. Em 1993 a linha foi repassada a N.S. da Penha e ficou desativada, sendo reativada em de 1994 como "541L - Bangu x Nilópolis". 

Em 1999 a N.S. Penha levou a linha até Nova Iguaçu e após isso o código da linha de Bangu foi alterado para 432L.



Na operação da Feital, a linha parava no primeiro ponto da Rua Mário de Araújo, onde dali voltava no sentido Realengo pela Estrada Getúlio Vargas. Na administração da N.S. Penha, a linha foi transferida para o Terminal Rodoviário de Nilópolis.




Empresa Nossa Senhora da Conceição

A empresa operava três linhas ligando Nilópolis a São João (via Portugal Pequeno, via Tomazinho e via Éden) e Mesquita.
Também operava linhas ligando Nova Iguaçu aos bairros de Fábrica de Pólvora e Delamare (A primeira, adquirida da Transportadora Auto Luxo e a última da Viação Veneza).

Pintura da NS Conceição - adesivo ESF após a aquisição.

Sua garagem era na Avenida União, 525, onde hoje é apenas um galpão. No Departamento de Transportes Coletivos – DTC do antigo Estado do Rio o prefixo era 44XX e após a fusão o prefixo era RJ 125.XXX e em Nova Iguaçu 08.XX para as linhas municipais.

Após a venda de trinta ônibus e as linhas Nilópolis x Mesquita e as linhas municipais que operava em Nova Iguaçu para a Expresso São Francisco em 1979, a empresa passou a usar o registro municipal da Conceição em sua frota.

Nos dias de hoje, as linhas que pertenceram a Nossa Sra. da Conceição estão com três empresas:
> Vila Rica: (Nova Iguaçu x F. de Pólvora/Delamare)
> São Francisco: Nilópolis x Mesquita
> Flores: Nilópolis x Pavuna


Viação Nossa Senhora Aparecida

Fundada em 1979, a Aparecida foi criada pela Viação Ponte Coberta arrematou as algumas linhas da N. S. da Conceição.
As linhas que antes faziam ligação entre Nilópolis e São Mateus em São João de Meriti foram estendidas até o bairro da Pavuna.

Viação Nossa Senhora Aparecida

Com a aquisição para o Grupo JAL, a Viação Ponte Coberta repassou as linhas para a Empresa de Transportes Flores e a N.S. Aparecida começou a atuar no ramo de fretamento, adquirindo ônibus zero km. Adotou o nome fantasia de Conceitur, alguns anos depois passou a utilizar o prefixo RJ 595.XXX que foi baixado em 1995.


Expresso Cruzeiro do Sul

A Expresso Cruzeiro do Sul foi fundada em 1966, estava se iniciando o serviço de fretamento e turismo no ano de 1967, a empresa tem sede no bairro carioca de Cordovil. Entre 1967 e 1972, a empresa comprou boa parte da frota de turismo e veio se desenvolvendo no fretamento entre 1977 e 1983.



Turismo Cruzeiro do Sul

A partir de dezembro de 2008 com a inauguração d as linhas que ligam o eixo Baixada Fluminense x Barra da Tijuca, a empresa recebeu as linhas 410T São João de Meriti x Barra da Tijuca e 420T - Nilópolis x Barra da Tijuca, dando início a um novo desafio - operar linhas urbanas.


Expresso Cruzeiro do Sul

Em abril de 2017 a empresa teve declarada pelo DETRO a caducidade da concessão de suas duas linhas. A empresa deixou de operar por 24 horas e voltou a circular através de um recurso. Durante a suspensão as linhas foram operadas pelas empresas:

Empresa de Transportes Flores
410T São João de Meriti x Barra da Tijuca via Fundão
Nilopolitana Cavalcanti
420T Nilópolis x Barra da Tijuca via Mesquita


410T - Nilopolitana /420T Transportes Flores

A liminar que permitiu a volta da Cruzeiro do Sul nas linhas foi suspensa no dia 19 de agosto do mesmo ano, voltando as linhas a serem operadas pela Empresa de Transportes Flores e Nilopolitana.




Ligação Nilópolis X Centro do Rio


As linhas que levam o povo nilopolitano ao Centro do Rio começara a ser operadas pela Expresso São Ricardo lá pelos idos dos anos 60.
Em seguida passaram a ser administradas pela Novo Horizonte lá pela década de 70 até que foram repassadas a Rápido Brasileiro.

A Nova Iguaçu Turismo SA iniciou sua operação no segundo semestre de 1978, adquirindo as linhas da Rápido Brasileiro. Entre os diretores haviam dois fundadores da empresa Transa de Três Rios. As duas empresas eram distintas(razões sociais diferentes), ostentando apenas o mesmo nome fantasia e a identidade visual.


Transa (Rápido Brasileiro)

Nos anos 70 e início dos 80, a o Grupo Transa era uma grande empresa: operava linhas da Baixada para o Rio e o transporte municipal de Três Rios.

A Trans1000 surgiu nesta época:

Devido à crise econômica do país e da empresa em 1982, a direção da empresa é retomada pela direção da antiga Rápido Brasileiro, mudando então a razão social para Rápido Brasileiro SA mantendo apenas o nome fantasia (TRANSA). 


Turismo Transmil SA

Em 1983 é fundada a Turismo Transmil SA absorvendo as linhas da Rápido Brasileiro.
Assumindo da empresa-mãe o setor via Deodoro e Anchieta, a Transmil  absorveu diversas outras empresas (Viação Márcio, Novo Horizonte, Paradise) e crescendo, enquanto a Transa se limitou ao Centro-Sul.

Após a emancipação de Levy Gasparian, parte de suas linhas se tornou intermunicipal e a Transa voltou a usar RJ, agora RJ-164.

A Turismo Transmil absorveu as seguintes linhas e empresas:


Rápido Brasileiro SA

Transa - Rápido Brasileiro SA
0000 Nova Iguaçu x Praça Mauá
124B Nilópolis x Praça Mauá via Deodoro
133B Nova Iguaçu x Central via Deodoro
479I Nova Iguaçu x Parada de Lucas via Deodoro

Auto Viação Márcio

Auto Viação Márcio
120B Nilopolis x Central via Banco de Areia
131B Nilopolis x Praça Mauá via Banco de Areia
479B Mesquita x Central via Banco de Areia


Novo Horizonte Transporte e Turismo

Novo Horizonte Transporte e Turismo
127B Nilopolis x Praça Mauá via Vila Norma
129B Nilopolis x Central via Vila Norma
152B NIlopolis x Central via Pavuna
475B Nilopolis x Tijuca via Pavuna
516I Nilopolis x KM 2,5 via Vila Norma
651B Mesquita x Central via Pavuna


Expresso São Ricardo
Expresso São Ricardo
000 Nilopolis x Praça Mauá via Camboatá
000 Nilopolis x Praça Mauá via Pavuna
000 Mesquita x Praça Mauá via Chatuba
478B Mesquita x Central via Chatuba
481B Mesquita x Melhoral via Chatuba


A Turismo Transmil transferiu para a Transportes Blanco o seu setor de Queimados. Os demais setores, que compreende ás linhas que partem de Nova Iguaçu, Mesquita e Nilópolis foram distribuídos para outras empresas após duas intervenções do DETRO-RJ


Terminal Rodoviário de Nilópolis
Inaugurado em 1979, o Terminal Rodoviário de Nilópolis esta localizado na Avenida Getúlio de Moura próximo à Rua Alberto Teixeira da Cunha. Inaugurado e administrado pelo poder público através da CODERTE - Companhia de Desenvolvimento Rodoviário e Terminais do Rio de Janeiro, atualmente é operado por um consórcio de empresas através da RioTerp, o qual declarou um investimento de R$ 20 milhões em melh
orias.

Terminal Rodoviário de Nilópolis
O Consórcio Rio Terminais Rodoviários de Passageiros S/A (RIOTERP) é composto pela Fetranspor e Socicam Serviços e Socicam Administração e Projetos. O consórcio assumiu a administração e operação dos terminais rodoviários Menezes Côrtes, Américo Fontenelle (Centro do Rio), Nova Iguaçu e Nilópolis (Baixada Fluminense).

O grupo, que investirá mais de R$ 40 milhões em reformas e na construção de um novo terminal com objetivo de melhorar as instalações, serviços e o atendimento a população carioca nestes terminais. Os projetos das obras serão submetidos a aprovação pelo poder concedente em até 180 dias (6 meses) e, a partir da aprovação, serão encaminhados as respectivas prefeituras para aprovação e obtenção das licenças necessárias.

O Terminal movimenta atualmente mais de 169 mil ônibus que atendem a mais de 24 milhões de passageiros/ano. O terminal opera com linhas metropolitanas para o Centro do Rio de Janeiro e outras regiões da Baixada Fluminense.


As empresas que fazem parada o possuem pontos de parada no terminal são:

Nilopolitana
Expresso São Francisco
Transportes Blanco
Auto Viação 1001
Viação Ponte Coberta
Viação N.S. Penha
Master Transportes


RJ-081 Via Light


A Rodovia Carlinhos da Tinguá liga a Cidade do Rio de Janeiro à Nova Iguaçu passando pelos municípios de Nilópolis, São João de Meriti e Mesquita.

A origem do nome Via Light vem das torres de alta tensão da concessionária de energia que abastece o Rio.


Via Light

Por força da Lei Estadual 6352/2012, que inseriu o inciso XLII, no Art. 1° da Lei Estadual 6036/2011, a rodovia passou a se chamar Rodovia Carlinhos da Tinguá.


Via Light

Construída na gestão do então governador Marcello Alencar, no ano de 1998, no intuito de desafogar o trânsito da Rodovia Presidente Dutra e com intenção de ser uma importante ligação viária do Grande Rio, a Via Light não conseguiu emplacar como uma alternativa à Dutra, só servindo de integração ao metrô ou avenida principal do município de Nova Iguaçu.


Em 2005, foi inaugurado o trecho até o Viaduto Dom Adriano Hipólito, aumentando sua extensão para 10,5 km. sendo que no dia 27 de setembro de 2010, o trecho de 3,5 km do viaduto Dom Adriano Hipólito à Avenida Ministro Lafayete de Andrade, no bairro Marco II, foi aberto ao trânsito.

A Prefeitura de Nova Iguaçu, abriu mais um trecho, indo dessa vez ao bairro de Ouro Preto.

Em Nilópolis a via passa na divisão com o município de São João de Meriti, cortando os bairros de: Novo Horizonte, Cabuís, Bairro da Mina e Paiol de Pólvora.



Transportes Ferroviário em Nilópolis

Primeira linha a ser construída pela E. F. Dom Pedro II, que a partir de 1889 passou a se chamar E. F. Central do Brasil, era a espinha dorsal de todo o seu sistema. O primeiro trecho foi entregue em 1858, da estação Dom Pedro II até Belém (Japeri) e daí subiu a serra das Araras, alcançando Barra do Piraí em 1864. Daqui a linha seguiria para Minas Gerais, atingindo Juiz de Fora em 1875. 


Estação Ferroviária de Nilópolis

Embora os trilhos da Estrada de Ferro Central do Brasil já cortasse o vilarejo de Vila Ema desde 1858, a estação de Engenheiro Neiva foi inaugurada em 08 de novembro de 1914, 56 anos mais tarde. Logo o seu nome foi alterado para Nilópolis, dado em homenagem ao político fluminense, ex-Presidente da República, Nilo Peçanha.



Estação Olinda
Outra estação na cidade é a estação de Olinda, inaugurada em 1935 no bairro com o mesmo nome. O bairro fica nos limites com a capital e forma o segundo distrito de Nilópolis, que conta apenas com esse e com o distrito sede.
Em 16 de novembro de 1966 houve um grave acidente na estação. A colisão entre duas locomotivas deixou 100 feridos e outras 10 vítimas fatais.



Fontes Bibliográficas

Busologia do RJ
Nilópolis Online
Cia de Ônibus
Busologia -Por Pablo Melo
Universo do Ônibus
Chopp Duplo
Família Nilopolitana
Ônibus Brasil
Mobilidade Fluminense
Clube do Trecho
Estações Ferroviárias
Mais Ônibus
Relatos de Viagem Etc
Prefeitura Municipal de Nilópolis
Prefeitura Municipal de Nova Iguaçu
Prefeitura Municipal de São João de Meriti
Prefeitura Municipal de Mesquita
Expresso São Francisco
Nilopolitana Cavalcanti Cia
Auto Viação Vera Cruz
Costa Verde Transportes
Viação São José
Empresa de Transportes Flores
Consórcio Rio Terminais de Passageiros
Jornal O Dia
Rede Ferroviária Federal
Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes
Socicam
Tags : , , , , ,

3 comentários:

  1. O Sr. Augusto Antônio dos Santos possui em seu acervo fotos da Ponte Coberta datadas de 1962 e 1964.Não estaria a data da fundação dela errada?
    Poderia se acrescentar na fundação da Vila Rica a aquisição da linha Nova Iguaçu x São João de Meriti via BNH em 1974 da São Geraldo de Transportes e da linha Nova Iguaçu x BNH da Auto Viação São Jorge LTDA (sem fotos conhecidas até o momento).

    ResponderExcluir
  2. EXCELENTE FOTOS ! Lembro que na minha infância haviam outras empresas de ônibus:
    1)NOVO HORIZONTE TRANSPORTES E TURISMO S/A fazia a linha NILÓPOLIS-PRAÇA MAUÁ. 2) NATIVIDADE, fazia a linha CAXIAS-NOVA IGUAÇU. SÃO GERALDO S/A fazia as seguintes linhas: SÃO JOÃO DE MERITI-VILAR DOS TELES; SÃO JOÃO-LARGO DO GUEDES, SÃO JOÃO-PARQUE ALIAN. Nunca vi fotos desses ônibus na net. tenho somente um desenho colorido da viaçao SÃO GERALDO.

    ResponderExcluir
  3. Quantas saudades veio por essas fotos

    ResponderExcluir

[2][iconeI][style-1][LEIA TAMBÉM][As mais lidas até o momento]

Somos movidos pelo interesse de explorar os meios, modos e regras que integram o sistema de mobilidade urbana no Estado do Rio de Janeiro. O avanço tecnológico tem trazido mais dinamismo nas cidades, fazendo com que a população evolua e acompanhe esse avanço.

Buscamos obter informações, matérias, históricos e projetos de mobilidade e transformação urbana, assim como a realização de visitas técnicas em empresas, concessionárias e instituições relacionadas à Mobilidade Urbana do RJ, cuja perspectiva é abordar temas mais diversos e estar inteirado no que há de vir nos serviços de transportes.


Mobilidade nas Ruas: Distrito de Santo Aleixo (Magé)

O Distrito de Santo Aleixo localiza-se no extremo norte do município de Magé, junto às divisas de Petrópolis e Guapimirim; distanciando-se n...

NOSSOS PARCEIROS