Mobilidade na Barra da Tijuca - Antiga Rodovia Rio-Santos

| Sem comentário
A região da Barra era originalmente um complexo de dunas, assentada sobre uma ilha barreira, com vegetação rasteira típica de restinga. A área, cheia de alagadiços e imprópria para o plantio, permaneceu desocupada até meados do século XX, sendo frequentada apenas por pescadores.

Auto Viação Tijuca

A concentração de grandes extensões de terras em mãos de poucos foi uma das causas do crescimento tardio, além da dificuldade de acesso à região, por estar separada do restante do município por grandes cadeias montanhosas componentes do Parque Nacional da Tijuca, com picos que variam de 800 a 1 200 metros de altitude.

Em fevereiro de 1940, o Departamento de Concessões da Prefeitura autoriza uma das empresas suburbanas a explorar a linha Largo do Tanque - Barra da Tijuca.



Avenida das Américas - Cebolão - 1960

Em 1945 é criada a linha S-81 (Leblon – São Conrado), via Avenida Niemeyer, com pontos finais no Hotel Leblon e na Igrejinha de São Conrado. Em julho de 1945, segundo o Mensário Estatístico da Prefeitura do Distrito Federal, a linha efetuou 1.354 viagens transportando 38.623 passageiros.


Segundo o Guia Rex de 1945 as seguintes linhas serviam à região:


S-33 Largo do Tanque x Barra da Tijuca
Lgo Tanque, Av. Geremário Dantas, Pça. Professora Camisão, Estrada da Tijuca até a Barra da Tijuca.

S-31 Largo do Tanque x Recreio
Lgo. Tanque, Estrada da Taquara, Estrada Guaratiba até o Recreio.

S-81 Leblon x São Conrado
Hotel Leblon, Niemeyer, Jardim Gávea, Estrada da Gávea, Capela de São Conrado 

> Nota-se que para chegar ao Recreio o caminho era pelas atuais estradas dos Bandeirantes e Pontal.


Década de 1950

A linha de lotações Alto da Boa Vista x Furnas da Tijuca, contava com serviço extraordinário até a Barra da Tijuca, aos sábados e domingos.

Anos 60


Linha de Bonde na Estrada das Furnas


Em 1960 os moradores do Alto da Boa Vista solicitavam a criação de uma linha de lotação para a cidade, visto o bairro ser atendido apenas pela linha do bonde.

Em fevereiro de 1963, segundo a relação das novas tarifas de ônibus publicadas no dia 09/02/1963 no Jornal Diário de Notícias, as seguintes linhas atendiam a região da Barra da Tijuca: 

Ônibus


S-33 Cascadura x Barra da Tijuca via Largo do Anil
S-36 Cascadura x Gardênia Azul 
S-37 Cascadura x Vargem Grande via Taquara, Arroio Pavuna e Hospital de Curicica
S-38 Cascadura x Recreio dos Bandeirantes via Taquara, Arroio Pavuna e Hospital de Curicica. 

Lotações

Alto da Boa Vista x Barra da Tijuca
Arpoador x São Conrado
Barra da Tijuca x Hotel Leblon
C-21 Rocinha x Mourisco via Jockey
C-22 Rocinha x Mourisco via Copacabana
C-23 Vidigal x Real Grandeza via Jockey
C-24 Rocinha x Real Grandeza via Copacabana
C-25 Rocinha x Santos Dumont
C-26 (Rocinha x Bar Vinte

Em abril de 1964 somente a linha 547 Hotel Leblon x Barra da Tijuca fazia a ligação da Barra da Tijuca com a zona sul, com ponto inicial na Praça Rubem Dario (Canal do Jardim de Alah), passando pela avenida Niemeyer, Estrada da Gávea, Praça São Conrado, Estrada do Joá e ponto final na Praça Desembargador Araújo Jorge (Barrinha).

Para a zona norte, além da linha de lotação Sáenz Peña x Barra da Tijuca, com 13 carros, somente as linhas de ônibus 647 Barra da Tijuca x Alto da Boa Vista e 748 Barra da Tijuca  Cascadura atendiam o bairro.


Ocupação do Jardim Oceânico e Tijucamar

Nessa época, com exceção dos bairro de Jardim Oceânico e Tijucamar, a Barra da Tijuca era um imenso areal a ser explorado. A Avenida das Américas ainda não tinha sido aberta, e somente uma ponte fazia a transposição do Canal de Marapendi, na altura da avenida Olegário Maciel

No dia 17 de janeiro de 1964, é inaugurada a linha de ônibus 640 Praça Sáenz Peña x Barra da Tijuca via Alto da Boa Vista, com ponto final na Praça Araújo Jorge.

Em 1967 a Barra da Tijuca já era considerada uma das mais importantes áreas de expansão da cidade. Questionava-se o atraso da execução do plano urbanização que previa a implantação de novas vias na região, entre elas a Avenida Barra da Tijuca e a Via 11.

A primeira ponte sobre o Canal da Lagoa de Marapendi, junto à Praça Euvaldo Lodi, já não atendia a demanda de veículos principalmente nos dias de praia.

Nos dias de praia, em função das pistas estreitas, eram constantes os engarrafamentos na Estrada das Furnas e nas vias de acesso da Zona Sul principalmente nas estradas da Gávea e do Joá.


Travessia da Barrinha para a Joatinga pelo Canal de Marapendi

As linhas de ônibus para a Tijuca e Cascadura faziam ponto final na Praça Desembargador Araújo Jorge, distantes da praia, obrigando os banhistas a andar a pé e utilizarem o serviço de “gôndolas” para a travessia do canal. Os ônibus circulavam superlotados nos dias de maior movimento. A espera para embarque no ponto final chegava até 3 horas.

Em 1969 a Avenida Sernambetiba no trecho entre o Jardim Oceânico e o Recreio ainda não era atendida por nenhuma linha de ônibus. Não havia nenhuma linha direta para o centro da cidade. Ainda, somente 3 linhas de ônibus garantiam a ligação do centro da Barra com os demais bairros, a saber:

555 Hotel Leblon x Barra da Tijuca
Era a única ligação direta para a zona sul, com o seguinte itinerário:
Praça Rubem Dario, Nimeyer, Estrada da Gávea, Estrada do Joá, Estrada da Barra da Tijuca, Ponte, Armando Lombardi, Av.Antonio Moutinho, Sernambetiba (Quebra-Mar).


Avenida Ministro Ivan Lins /Avenida Armado Lombard

640 Sáenz Peña x Barra da Tijuca
Garantia a ligação direta com a Tijuca, via Alto da Boa Vista, com o seguinte itinerário:
Desembargador Isidro, Saens Peña, Conde de Bonfim, Édson Passos, Estrada Velha da Tijuca, Furnas, Estrada da Barra da Tijuca, Pça.Desembargador Araujo Jorge (Barrinha).

748 Cascadura x Barra da Tijuca
Fazia a ligação direta do centro da Barra da Tijuca com a zona norte,com o seguinte itinerário:
Itanhangá, Freguesia e Praça Seca, com ponto final no Largo de Campinho.

Ao menos até 1970 não havia nenhuma linha regular de ônibus nas avenidas das Américas, Sernambetiba e Via 11 (atual Ayrton Senna). O acesso ao Recreio dos Bandeirantes era feito pelas estradas dos Bandeirantes e Pontal, via Piabas


Avenida Sernambetiba


Anos 70

Em janeiro de 1970, circulavam apenas duas linhas de ônibus na Avenida Niemeyer:
545 Rocinha x Hotel Leblon
555 Barra da Tijuca x Hotel Leblon

Em maio de 1970, os moradores da Cidade de Deus, contavam com apenas duas linhas de ônibus para o Centro da cidade:
266 Cidade de Deus x Largo de São Francisco
267 Freguesia x Largo de São Francisco

Não havia nenhuma linha direta para a Zona Sul, apenas uma linha informal de Kombis entre a Cidade de Deus e o Leblon, com ponto final na rua Rita Ludolf, esquina com a rua General San Martin, com tarifa de Cr$1,50.

A empresa Transportes Amigos Unidos já havia requerido ao Estado a concessão de uma linha entre a Cidade de Deus e o Jardim de Alá. Mais tarde a linha 555 Barra da Tijuca x Leblon é estendida até a Cidade de Deus.


Transportes Amigos Unidos

No dia 10 de fevereiro, com a implantação da auto-estrada Lagoa-Barra é criada mais uma linha de ônibus, melhorando o acesso à Barra da Tijuca, a linha 751 Cidade de Deus x Gávea via Gabinal.

Construção do Elevado das Bandeiras


No mesmo dia o ponto final da linha 555 Gávea x Barra da Tijuca é prolongado até a Cidade de Deus.



Construção da Ponte da Joatinga

Também em fevereiro é inaugurada a linha (Tarifa A) entre Campo Grande e o Aeroporto Santos Dumont, via orla da zona sul.


Em junho de 1971, são iniciados os estudos de implantação de uma nova linha de ônibus especial entre Santa Cruz e Sepetiba com o centro da cidade, passando pela Rodovia Rio-Santos e pela Barra da Tijuca. A primeira linha de ônibus especial foi inaugurada em 1966, entre Santa Cruz e o Centro, via Avenida Brasil.


Expresso Pégaso
Em agosto de 1973 as seguintes linhas circulavam pela avenida Niemeyer

521 Vidigal x Mourisco
522 Vidigal x Mourisco
545 Rocinha x Marquês de São Vicente
553 Leme x São Conrado
554 Gávea x Barra da Tijuca
555 Gávea x Cidade de Deus
750 Gávea x Cidade de Deus

Linhas especiais

Aeroporto Santos Dumont x Campo Grande
Aeroporto Santos Dumont x Base Aérea de Santa Cruz
Aeroporto Santos Dumont x Restinga de Marambaia


Houve uma melhora no acesso à zona sul
Em 1974 3 linhas de ônibus ligavam o centro da Barra da Tijuca à zona sul:

554 Gávea x Barra da Tijuca
555 Gávea x Cidade de Deus
748 Gávea x Cascadura
750 Gávea x Cidade de Deus


Já havia uma ligação para o centro com a linha 233 Rodoviária x Barra via Alto da Boa Vista, pela empresa Tijuca, mas que não atingia o centro de negócios.

Em 1979, a CTC cria a linha 700 Recreio x Hotel Nacional, beneficiando a população do Recreio dos Bandeirantes.


Anos 80

A Barra só explodiu mesmo nos anos 80, quando o decreto 3046 (1981) regulamentou as construções na Baixada de Jacarepaguá. Até esta data, o miolo do bairro era desocupado: havia alguma ocupação na Barrinha e Jardim Oceânico, mas o restante era extremamente esparso. 


Avenida das Américas 1960

Em 1980 a avenida das Américas era servida pelas linhas:

234 Rodoviária x Barra da Tijuca (Auto Viação Tijuca)
700 Recreio x Barra da Tijuca (CTC)
752 Cidade de Deus x Barra da Tijuca (Viação Redentor)
753 Cascadura x Barra da Tijuca (Viação Redentor)
754 Sulacap x Barra da Tijuca (Viação Redentor)
755 Cascadura x Gávea (Viação Redentor)
854 Campo Grande x Barra da Tijuca (Viação Jabour)
882 Santa Cruz x Barra da Tijuca (Expresso Pégaso)
Santos Dumont x Base de Santa Cruz (Expresso Pégaso)
Santos Dumont x Campo Grande (Expresso Pégaso)
Santos Dumont x Restinga de Marambaia (Expresso Pégaso)

Em abril de 1980 as seguintes linhas circulavam pela avenida Sernambetiba, no trecho entre o Jardim Oceânico e a avenida Alvorada:

233 Rodoviária x Barra da Tijuca
554 Gávea x Barra da Tijuca
748 Cascadura x Barra da Tijuca
751 Cidade Deus x Barra da Tijuca
854 Campo Grande x Barra da Tijuca
882 Santa Cruz x Barra da Tijuca


Viação Redentor

Serviço Especial:
Castelo x Taquara


Avenida Sernambetiba x Via 11


Linhas que circulavam pela Estrada do Pontal, no Recreio em abril de 1980:

749 Cascadura x Recreio dos Bandeirantes
854 Campo Grande x Barra da Tijuca
882 Santa Cruz x Barra da Tijuca


Pontal do Recreio e Vargens

Circulavam pela Estrada da Barra da Tijuca e Jacarepaguá as seguintes linhas:

555 Gávea Cidade de Deus
748 Cascadura Barra da Tijuca
750 Gávea Cidade de Deus
751 Barra Tijuca Cidade de Deus

Linha Especial:
Castelo Freguesia


A Via 11 era utilizada pelas linhas 752, 753, 755 e pela linha especial Castelo-Taquara.


Via 11 - Atual Avenida Ayrton Sena

Ainda serviam à região, circulando pela Estrada dos Bandeirantes, as seguintes linhas:

747 Cascadura x Vargem Grande
749 Cascadura x Recreio
758 Recreio x Vargem Grande


Também chegava à Baixada a linha 554 Gávea x Barra da Tijuca da empresa Amigos Unidos, e alguns empreendimentos particulares ofereciam linhas exclusivas de transporte coletivo.


Transportes Amigos Unidos

Um pouco antes da inauguração do Barra Shopping, junto do início da operação parcial do Terminal Alvorada em 22 de setembro de 1981, são inauguradas 11 novas linhas, entre elas a 175, 179, 523 e 524, melhorando o acesso ao centro da cidade e a zona sul.

Início da operação parcial do terminal Alvorada em 22 de setembro de 1981

Linhas Criadas na Década de 1980

175 Estrada de Ferro x Alvorada
179 Estrada de Ferro x Alvorada
523 Botafogo x Alvorada
524 Botafogo x Alvorada
382 Praça Mauá x Grota Funda v.Vargem Grande
387 Praça Mauá x Restinga de Marambaia
S-20 Carioca x Recreio dos Bandeirantes

Em 20 de outubro de 1984 foi inaugurada a linha 701 Madureira x Alvorada. A linha fez parte do Projeto de Transportes do arquiteto Jaime Lerner para atender a Baixada de Jacarepaguá e Barra,  ligando a Zona Norte à Zona Sul.

Viação Redentor


Outras linhas desse projeto foram as linhas:
Largo da Capela x Cardoso Fontes via Pechincha e Freguesia
Hospital Cardoso Fontes x Cidade de Deus via Pechincha
Boiuna x Freguesia via Cidade de Deus
Rio das Pedras x Taquara via Tanque
Hospital Cardoso Fontes x Cidade de Deus via Freguesia

Linhas que atendiam ao bairro de São Conrado em setembro de 1985:
175 Estrada de Ferro x Alvorada
176 Estrada de Ferro x São Conrado
179 Harmonia x Alvorada
387 Marambaia x Praça Mauá
523/524/553 Leme x São Conrado
554 Gávea x Novo Leblon
555 Cidade de Deus x Gávea
557 Leme x Itanhangá
755 Gávea x Cascadura

Em 1986 os moradores do Recreio, Grota Funda, Terreirão, Sernambetiba, Heliporto e Beira Rio reclamavam da falta de condução direta para o centro. Sugeriam o prolongamento da linha 179 Alvorada x Central) até a região. Em setembro de 1986 a ligação do Recreio com a Barra da Tijuca era feita somente pela linha 700 Alvorada x Pontal da CTC operando em longos intervalos.

Em novembro de 1987, a frota da linha 387 Restinga de Marambaia x Praça Mauá, da Expresso Pégaso, é reduzida de 6 para 3 ônibus, em função da abertura da linha 382 Grota Funda x Mauá, autorizada no início do mês de novembro de 1987, pela Secretaria Municipal de Transportes Urbanos (SMTU).

Expresso Pégaso


Anos 90

Em 1990 devido a inúmeras reivindicações de moradores da região de Jacarepaguá foram criadas linhas experimentais para facilitar os trabalhadores que moravam na região que faziam muitas baldeações até chegar ao destino.
750 Cidade de Deus x Gávea - Com ponto final na Praça General Osório e na Praça XV em horários de maior movimento.
561 Caxias x Barra da Tijuca
700 Vigário Geral x Barra da Tijuca
Linha 700 Vigário Geral x Barra da Tijuca


a linha 700 Vigário Geral x Barra da Tijuca era operada pela Redentor . Ela fazia o mesmo caminho da Caxias x Freguesia (Parada de Lucas, Cordovil, Irajá, Madureira) mas seguia pela Cid. de Deus. 


Em março de 1994, a linha 382 que fazia o percurso Castelo x Grota Funda tem o seu itinerário alterado para o Recreio dos Bandeirantes, com ponto final na Avenida Sernambetiba, esquina com a estrada do Pontal. No mesmo mês a linha 268 Praça XV x Riocentro tem o seu itinerário estendido até o Recreio dos Bandeirantes, passando pela Vargem Grande.

Viação Redentor


No dia 21 de dezembro de 1997, segundo matéria do jornal O Globo, começaram a circular as primeiras linhas de ônibus pela Linha Amarela:

233 Rodoviária x Barra da Tijuca
690 Meyer x Cidade de Deus
691 Meyer x Alvorada
266 Rodoviária x Cidade de Deus
267 Praça XV x Freguesia
636 Saens Peña x Gardenia Azul

Viação Verdun



Em 1997 a Linha 691 Meyer x Alvorada via estrada Grajaú-Jacarepaguá, ganha um serviço especial via Linha Amarela.

Apesar de só aberta oficialmente em fins de 1997 ao tráfego de ônibus, a Linha Amarela já fazia parte do itinerário de pelo menos uma linha:
292 Praça Quinze x Engenho da Rainha, da Transportes Estrela Azul, que desde a abertura do primeiro trecho da via expressa utilizava o acesso da Estrada Velha da Pavuna para retornar para a mesma estrada, no sentido contrário.

A partir do dia 21 de dezembro de 1997, a Prefeitura autorizou, sem licitação, a circulação de linhas existentes das empresas Redentor, Litoral Rio e Verdun, na Linha Amarela. Cada empresa tinha o direito de operar duas linhas.

Litoral Rio Transportes

Década de 2000

Em dezembro de 2007, a linha 2016 Castelo x Mandala é prolongada até o Condomínio Barra Sul. Os moradores dos condomínios Barra Sul e Pontões reclamavam que os ônibus das linhas de Santa Cruz, Campo Grande e Sepetiba já passavam lotados. Em 2010 a linha 2016 é renumerada para a linha 318 Castelo x Barra Sul, sendo estendida até a Central do Brasil em 2013.

Real Auto Ônibus


Também em 2007, a linha 557 Copacabana x Itanhangá é estendida até a comunidade de Rio das Pedras

Em maio de 2008, a empresa Vera Cruz inicia a operação da linha Barra da Tijuca x Duque de Caxias, via Linha Amarela e Linha Vermelha, sendo a primeira linha de ligação direta entre a Barra da Tijuca e a Baixada Fluminense. 
Viação Vera Cruz


No dia 8 de junho de 2009 é inaugura a linha Nova Iguaçú x Barra da Tijuca, a décima linha licitada pelo Governo do Estado para a ligação Barra da Tijuca-Baixada Fluminense.

Década de 2010

No dia 2 de janeiro de 2014, a Prefeitura determina o reforço na frota de 10 linhas de ônibus que atendem a região da Vargens, na Zona Oeste. A medida representa um aumento em 30% na oferta, além da criação de duas novas linhas (LECD) na região do Recreio e das Vargens, as linhas Recreio x Vargem Grande via Rio Morto, e Pontal x Riocentro via Conjunto Bandeirantes/Avenida Lúcio Costa.

Linhas de ônibus com a frota reforçada: 

504 Piabas x Gávea
382 Piabas x Carioca
747 Vargem Grande x Madureira
749 Cascadura x Recreio
758 Cascadura x Recreio
810 Largo dos Piabas x Hospital Cardoso Fontes
817 Vargem Grande x Recreio
823 Recreio x Vargem Grande
826 Joatinga x Vargem Grande
827 Vargem Grande x Recreio

No dia 24 de dezembro, é inaugurada a reforma do Terminal Alvorada. No mesmo dia é inaugurada a ponte estaiada do BRT, sobre o canal da avenida Ayrton Senna.
Avenida Ayrton Sena - Ponte Estaiada 


Outra inovação no trânsito da área são os BRT’s (Bus Rapid Transit – sigla em inglês). O sistema consiste em um corredor de faixa exclusiva para ônibus e que liga atualmente a Barra da Tijuca à Santa Cruz, Campo Grande, Vila Militar, Madureira, Vicente de Carvalho e Aeroporto do Galeão.


BRT Transoeste


Em junho de 2012 foi inaugurado o corredor Transoeste, ligando a Barra da Tijuca à Santa Cruz e Campo Grande. No início, apenas nove estações foram inauguradas:
Pingo d’Água
Pontal
Recreio Shopping
Nova Barra
Gelson Fonseca
Pedra de Itaúna
Riomar
Novo Leblon
Alvorada


BRT Transoeste

Atualmente com 56km de extenção possui 63 estações, algumas delas com terminais de integração com linhas alimentadoras. As alimentadoras são linhas locais que fazem a ligação de diversos bairros com a linha tronco do sistema de BRT.
Em 2016 foi inaugurado o trecho entre o Terminal Alvorada e o Jardim Oceânico, possibilitando a integração com a linha 4 do Metrô.

BRT - Terminal Jardim Oceânico


BRT Transcarioca

O Corredor Transcarioca começou a funcionar em junho de 2014, fazendo o trajeto entre os bairros Barra da Tijuca e Tanque, ambos na Zona Oeste.
BRT Tanscarioca - Estação Terminal Galeão

Atualmente liga a Barra da Tijuca ao Aeroporto Internacional Antonio Carlos Jobim (Galeão) passando pelos subúrbios de Madureira, Vicente de Carvalho e penha servindo de integração com os ramais da Supervia nas estações Madureira Manacéia e Penha e com a linha 2 do Metrô na estação Vicente de Carvalho.

BRT Transolímpico

Inaugurado em julho do ano passado, atendendo exclusivamente à família olímpica, voluntários e credenciados dos jogos olímpicos de 2016, o Corredor Transolímpico teve seu funcionamento entre a Vila Militar e o Terminal do Recreio com apenas algumas estações em funcionamento, estações que ficavam próximas às instalações olímpicas. São Elas:
Vila Militar
Marechal Fontenele
Morro do Outeiro
Terminal Centro Olímpico
Olof Palme
Terminal do Recreio
Durante os jogos o corredor operou com serviços especiais para abranger uma maior integração entre modais na cidade:
BRT Transolímpico - Estação Magalhães Bastos


Linha Tronco - Vila Militar x Terminal do Recreio
Integração com o trem na estação Magalhães Bastos

Linha Especial - Madureira x Terminal do Recreio
Integração com o trem nas estação Madureira e Penha, Integração com o Metrô na estação Vicente de Carvalho, integração com ônibus da Baixada Fluminense no Terminal Aroldo Melodia (Fundão) e integração com o Aeroporto internacional nas estações Galeão 1 e Galeão 2.

Linha Especial - Vicente de Carvalho x Terminal do Recreio

Também nesse período, foi inaugurada a linha Terminal Centro Olímpico x Terminal Jardim Oceânico, possibilitando a integração com a linha 4 do Metrô. Atualmente faz parada no Terminal Alvorada.


Metrô-Rio Linha 4

Em setembro de 2016 fo aberta a população a linha 4 do Metro.  Operando desde o dia 1 de agosto, apenas credenciados e público dos jogos olímpicos e paralímpicos usufruíam do serviço. Com 16km de extensão, liga a Barra da Tijuca à Ipanema abrangendo as estações:
Jardim Oceânico
São Conrado
Antero de Quental
Jardim de Alah
Nossa Senhora da Paz


Metrô Linha 4 - Construção da ponte estaiada 

Ainda no projeto da linha, há a estação Gávea que teve suas obras interrompidas.
Em março de 2017, As linhas 1 e 4 se fundiram em uma.

Linha 1
Uruguai x General Osório

Linha 4
General Osório x Jardim Oceânico

Com o novo serviço, os usuários foram contemplados com a ligação direta Uruguai x Jardim Oceânico, diminuindo assim o tempo de viagem e suprimindo a necessidade de baldeação.


Barcas

Em setembro do ano passado, durante as campanhas eleitorais, o então candidato e atual prefeito anunciou o projeto de implantar uma linha de barca na Lagoa da Barra da Tijuca.
Segundo a proposta, o terminal de barcas ficaria nas proximidades do Jardim Oceânico, facilitando a integração com o BRT e o Metrô que possuem terminais nesse bairro.


Aeroporto

O atual Aeroporto de Jacarepaguá surgiu em meados de 1920 como um campo de pouso auxiliar ao Campo dos Afonsos (Base Aérea dos Afonsos - BAAF) , base da Força Aérea Brasileira. Era utilizado quando a BAAF estivesse com nebulosidade prejudicial ao tráfego aéreo. O Aeroporto, em 1969, começou a ser edificado, com inauguração em 19 de janeiro de 1971
Aeroporto de Jacarepaguá

A dimensão de sua pista é 900 x 30 metros, sendo mais frequentemente utilizado por particulares, por empresas de propaganda aérea que fazem publicidade nas praias da Barra da Tijuca e na zona sul da cidade, e pelo Aeroclube do Brasil. Dentre as grandes companhias, apenas a Gol Linhas Aéreas tem um balcão de check-in.



O Terminal Alvorada


Ponto de referência na Barra da Tijuca, o Terminal Alvorada tem uma história marcada por grandes mudanças. Mudanças em sua estrutura e alterações que influenciam em todo o funcionamento de diversas regiões da cidade.

Conforme vimos acima, a Barra da Tijuca não passava de uma área isolada do restante da cidade do Rio de Janeiro. Contudo, a partir dos anos 1970, após o projeto urbanístico do arquiteto e urbanista Lúcio Costa, a Barra passou a se desenvolver de forma mais intensa.



Terminal Alvorada - 1980

Com mais de meio século de tradição no mercado imobiliário do Rio de Janeiro, a Sergio Castro Imóveis sempre contribuiu para melhorias em nossa cidade, conservando o que temos de melhor.

No fim dos anos 1970, por conta do desenvolvimento da Barra, algumas novas linhas foram criadas, inclusive especiais e com ar-condicionado para atender somente aos moradores dos condomínios de luxo que existiam na região.
Avenida Sernambetiba x Avenida Ayrton Sena

Todo esse crescimento motivou uma grande obra: o Terminal Alvorada. Em 1981, em uma região que acabou se tornando uma espécie de centro do bairro, já que fica próxima ao Barra Shopping, foi inaugurado o Terminal.

“Nos primeiros anos, apenas 11 linhas, que o ligavam aos Aeroportos Internacional Tom Jobim e Santos Dumont, Centro, Zona Sul, Curicica e Vargem Grande, saiam e chegavam ao Alvorada. Com o tempo, o espaço passou a ligar praticamente toda a cidade do Rio de Janeiro à Barra”, conta o pesquisador Isaac Assis.

O Terminal Alvorada, definitivamente, catapultou o crescimento da Barra. Com o fácil acesso ao bairro, pessoas das mais variadas regiões passaram a frequentar, trabalhar e buscar diversão na Barra da Tijuca.



Terminal Alvorada

Em 2011, foi iniciada a construção do BRT Transoeste e o Terminal Alvorada precisou passar por uma grande reforma. O espaço, totalmente modificado, foi reinaugurado em 2013, no ano seguinte passou a receber o BRT Transaarioca e dois anos depois recebe o BRT Tranolímpico sendo o Alvorada a estação terminal e de integração desses corredores.


Terminal Alvorada

Terminal Alvorada

Terminal Alvorada


Atualmente, o Terminal Alvorada recebe mais de 40 linhas de ônibus. A estimativa é que mais de 450 mil pessoas frequentem o Terminal todos os dias. Muita gente, de muitas regiões da cidade, precisa passar por lá para seguir seu dia-dia.



Terminal Alvorada


Ilha da Gigóia

Todos os terrenos da Ilha da Gigóia, bem como os das demais ilhas adjacentes, pertencem à União.


Ilha da Gigóia 
O Decreto Lei número 3046 de 27 de abril de 1981 da Prefeitura do Rio de Janeiro, transformou todas as ilhas do complexo lacunar de Jacarepaguá em áreas "non aedificandi" para o uso residencial, ou seja: todas as edificações familiares posteriores a esta data são consideradas ilegais pela Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro.
Balsa de acesso à Ilha da Gigóia 
Em virtude da precária fiscalização dos entes públicos, a maioria desses terrenos foi desmembrada e ocupada ilegalmente.
Cais da Ilha da Gigóia
Atualmente, a maior parte dos imóveis não possui inscrição na Secretaria Municipal de Fazenda (IPTU) e podem portanto, sofrer sanções administrativas, incluindo a desapropriação e a demolição.

A CEDAE não fornece saneamento básico na localidade, o que é um contra censo, uma vez que a área é de interesse ecológico. O abastecimento de água para toda a Ilha, segundo informações da própria CEDAE, é feito por apenas duas tubulações, uma de três e outra de duas polegadas, que obviamente não são suficientes, em virtude do crescimento desordenado.

A companhia também não realiza nenhuma manutenção na rede, cabendo os reparos aos moradores. Resultado: especulação imobiliária elevadíssima, falta d'água constante e processo de favelização.

Por fim, a COMLURB (companhia de limpeza urbana do Rio de Janeiro) e o INEA (Instituo Estadual do Ambiente) se responsabilizam reciprocamente pela coleta dos resíduos sólidos depositados no espelho d'água e nas margens da lagoa.

O resultado? Lixo espalhado e não coletado no meio ambiente, a menos de dois anos para o prazo final de implantação do Plano Nacional de Resíduos Sólidos. Alguns moradores fazem o recolhimento do lixo despejado no meio ambiente, por compromisso com o planeta Terra.

Rotas de acesso à Ilha da Gigóia



Ligação da Barra da Tijuca com outras cidades

A primeira linha foi criada no final de 1992, quando a Expresso Pégaso ganhou a concessão da linha 460S - Itaguaí x Barra da Tijuca.



Em março de 2016, a linha passou a ser operada pela Expresso Recreio. Os ônibus são climatizados e possuem bancos confortáveis, além de televisão, carregadores de celular e internet “Wi-Fi”.




Em 2008 a Viação Cidade do Aço começou a operar a linha Resende x Barra da Tijuca fazendo a ligação da Barra da Tijuca com a Região Sul Fluminense, atendendo entre outros, os municípios de Piraí, Volta Redonda e Barra Mansa. No mesmo ano, novas linhas ligando a Baixada Fluminense à Barra da Tijuca.




Depois de Duque de Caxias, primeiro município da região atendido pelo trajeto, a Barra da Tijuca recebe linhas oriundas de Queimados, com integração a Japeri,  de Belford Roxo.
Os ônibus das empresas concessionárias Transportes Tinguá e Auto Lotação Ingá, vencedoras da licitação realizada pelo Detro. 64 veículos entregues somando com os 50 que, já faziam o trajeto entre Duque de Caxias (com integração para Magé) e Barra.



As linhas que ligaram São João de Meriti e Mesquita ao bairro carioca, com integração para Nilópolis, começaram a circular em novembro operadas pela empresa Expresso Cruzeiro do Sul. Em Queimados, o então presidente do Detro, Rogério Onofre, assinou o contrato de concessão com os donos das empresas vencedoras da licitação, tendo como testemunhas o ex-governador Sérgio Cabral e o secretário de Transportes, Júlio Lopes.


A outorga para operação destes trajetos rendeu R$ 1,1 milhão em outorga para o Estado.

Em 20 de outubro foi licitada a linha de ônibus ligando Nova Iguaçu à Barra. A implantação de linhas de ônibus entre a Baixada e a Barra adotou um critério inédito no Estado do Rio já que esta foi a primeira concorrência pública com outorga remunerada para o Governo do Estado no setor do transporte público.




Atualmente é operada pelas empresas Viação Cidade do Aço e Viação Costeira. A empresa Evanil Transportes e Turismo está atuando na linha com veículos à serviço da Cidade do Aço, que por sua vez remanejou parte de sua frota para a cidade de Volta Redonda, onde opera em caráter emergencial as linhas da empresa São João Batista que sofreu intervenção do DETRO-RJ em dezembro de 2016.




Em janeiro de 2017 a Viação Teresópolis iniciou a operação da linha Teresópolis x Barra da Tijuca, consolidando assim o acesso direto da Região Serrana com o bairro. Além dessa linha, o Terminal Alvorada já contava com a linha para Petrópolis da empresa Única Petrópolis.


Além das linhas já existentes, há reivindicações de moradores de Niterói e São Gonçalo para a criação de uma linha que ligue essas cidades à Barra da Tijuca.

O Detro-RJ diz que a reivindicação está na contramão do Plano Diretor de Transportes Urbanos (PDTU), que propõe a integração modal e intermodal, e não a criação de novas linhas.


Em abril de 2017 a Expresso Cruzeiro do Sul teve declarada pelo DETRO a caducidade da concessão de suas duas linhas. A empresa deixou de operar por 24 horas e voltou a circular através de um recurso. Durante a suspensão as linhas foram operadas pelas empresas:

Empresa de Transportes Flores
410T São João de Meriti x Barra da Tijuca via Fundão
Nilopolitana Cavalcanti

420T Nilópolis x Barra da Tijuca via Mesquita


410T - Nilopolitana /420T Transportes Flores

A liminar que permitiu a volta da Cruzeiro do Sul nas linhas foi suspensa no dia 19 de agosto do mesmo ano, voltando as linhas a serem operadas pela Empresa de Transportes Flores e Nilopolitana.






Referências Bibliográficas


Consórcio BRT, Cia de Ônibus, Ônibus Brasil, Skyscrapercity, Grupo Redentor, Jornal O Dia, Jornal do Brasil, Jornal O Globo, Bairros Cariocas, Instituto Pereira Passos, Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro.
Tags : ,

Nenhum comentário:

Postar um comentário

[2][iconeI][style-1][LEIA TAMBÉM][As mais lidas até o momento]

Somos movidos pelo interesse de explorar os meios, modos e regras que integram o sistema de mobilidade urbana no Estado do Rio de Janeiro. O avanço tecnológico tem trazido mais dinamismo nas cidades, fazendo com que a população evolua e acompanhe esse avanço.

Buscamos obter informações, matérias, históricos e projetos de mobilidade e transformação urbana, assim como a realização de visitas técnicas em empresas, concessionárias e instituições relacionadas à Mobilidade Urbana do RJ, cuja perspectiva é abordar temas mais diversos e estar inteirado no que há de vir nos serviços de transportes.


Mobilidade nas Ruas: Distrito de Santo Aleixo (Magé)

O Distrito de Santo Aleixo localiza-se no extremo norte do município de Magé, junto às divisas de Petrópolis e Guapimirim; distanciando-se n...

Outras Matérias

NOSSOS PARCEIROS